Animais que abandonam

Milhões de cães e gatos vivem abandonados, no Brasil.
Sob a constante ameaça de doenças, fome e violência, revolvem lixos, atrapalham o trânsito, atacam ou são atacados e, nas horas vagas, procriam.
Muitos já tiveram nome e endereço, alegraram famílias, encantaram crianças e viveram felizes, até que a maldade humana interrompeu a bela história, com um frio e insensível abandono. Os abandonos acontecem por despesas não previstas com os necessários cuidados, pela perda da beleza natural aos filhotes, por uma mordida imprevista ou até mesmo por mudança ou viagem.
Abandonar animais ou maltratá-los é crime. O maltrato, vez ou outra, acaba punido, mas o abandono costuma ser alegado como fuga.
Animais de rua constituem tema de competência municipal, não raro merecedor de parcas contribuições a voluntários e meteóricas atuações dos Centros de Controle de Zoonoses. Castrações, a mais abrangente das medidas ao alcance dos prefeitos, não constituem providências rotineiras e continuadas.
A maioria dos animais aprisionados pelos órgãos públicos, por apresentarem risco à segurança ou saúde pública, acaba sacrificada. Alegam os alcaides que não possuem recursos e estruturas necessárias à manutenção de bons e suficientes canis e gatis.
Muitos animais de rua possuem donos, e perambulam livremente, com direito à refeição e pernoite em casa. São conhecidos na vizinhança, chamados pelo nome e latem quando algum desconhecido cruza o quarteirão.
Animais de raças bravias ou sensíveis, que necessitam de muitos cuidados, sofrem mais quando abandonados. Rústicos, os tais vira-latas adaptam-se com mais facilidade à selva urbana.
O socorro aos animais de rua costuma vir por intermédio de voluntários abnegados, que fundam abrigos, medicam, alimentam e buscam interessados em adoção. Tais abrigos são procurados até por desumanos que pretendem um lugar seguro para abandonar seus animais.
O voluntariado é um verdadeiro sacerdócio, e não é fácil mendigar apoios em meio a tanto desinteresse. Não são raros os exemplos de abrigos que asilaram mais animais que apoios, acabando por acusados de maltrato.
São muitas as pessoas insensíveis, que exercem a posse irresponsável de animais, gerando problemas a toda a sociedade. Em maior número, porém, são as pessoas que em nada contribuem, seja auxiliando voluntários ou exigindo medidas das autoridades.
Animais não constituem brinquedos ou objetos quaisquer, e geram laços afetivos e de mútua dependência com os humanos com quem convivem. Devemos temer as pessoas capazes de maltratar animais.

Últimas

Correio Politico – Edição 1010

Experiência e Renovação A Federação Brasil Esperança (PV, PT e Pc do B) está com uma chapa forte de pré-candidatos a vereador. Unindo experiência e renovação, a chapa de pré-candidatos...

Câmara aprova projeto de substituição de sacos plásticos convencionais por ecológicos

Prefeitura e Câmara suspendem publicações em sites

Devido à lei eleitoral, a Prefeitura e a Câmara de Itapetininga suspenderam, temporariamente, a exibição de notícias no site e no semanário oficial que impliquem em publicidade institucional. A medida...

Confira as principais notícias de 2022

Jeferson Brun lança pré-candidatura

O atual prefeito de Itapetininga, Jeferson Brun, atualmente filiado ao Republicanos, lançou oficialmente sua pré-candidatura a prefeito de Itapetininga. Caso se confirme o apoio oficial, Brun terá a companhia de...

Novos nomes surgem para  vice-prefeito

Novos nomes surgem para vice-prefeito

Na edição passada, o Jornal Correio publicou seis nomes que estão na disputa para entrar de vice-prefeito em Itapetininga. Mais duas pessoas estão ainda no jogo como ex-secretário municipal de...

Clima desfavorável afeta produção de figo na cidade

Clima desfavorável afeta produção de figo na cidade

No município de Itapetininga, o clima desfavorável marcou a temporada de colheita de figos neste ano, conforme relata Daniel Nache, produtor local. “Este ano foi desafiador desde o início, com...

Rodovias registram 12 mortos em acidentes

Rodovias registram 12 mortos em acidentes

Durante o feriado prolongado de 9 de julho, as rodovias administradas pela CCR SPVias em Itapetininga e região registraram um saldo de 12 mortos e 51 feridos em 22 acidentes....

mais lidas

Assine o Jornal e tenha acesso ilimitado

a todo conteúdo e edições do jornal mais querido de Itapetininga

Bem vindo de volta!

Faça login na sua conta abaixo


Criar nova conta!

Preencha os formulários abaixo para se cadastrar

Redefinir senha

Por favor, digite seu nome de usuário ou endereço de e-mail para redefinir sua senha.