Contrição

Estive em Setúbal, Portugal, no dia primeiro de julho de dois mil e dezenove, cidade de Bocage, aliás, o seu nome completo é Manuel Maria Barbosa Du Bocage. Foi o sátiro, como já disse alguém, de irreverência sem par e o maior talento poético repentista da Literatura Portuguesa.

Vi o bar onde ele escrevia e declamava as suas poesias eróticas e satíricas. Na praça está a sua estátua e ele numa pose de declamador.

Lembrei-me, quando tirava uma foto de sua estátua, do meu professor de Literatura Portuguesa e Brasileira. Na época, nos idos de sessenta, o Rev. Armando Pinto de Oliveira, o meu professor, recitou, entusiasticamente, como bom português, o soneto “Contrição” de Bocage. Na época fiquei deslumbrado com a poesia e com a chave de ouro: “ Deus, oh Deus… quando a morte à luz me roube / ganhe um momento o que perderam anos, / saiba morrer o que viver não soube”. / Naquela fase da vida, como adolescente, vivia pensando e sonhando com a morte. Perdera na época minha mãe, santa flor de lis e o meu pai, historiador e meu inspirador. A morte estava nos olhos e na mente.

Lembrei-me de Paulo Setúbal, o escritor de Tatuí que escreveu “Confiteor”, obra que se assemelha ao soneto de Bocage. Aflorou, também, na minha mente, o ladrão, que na hora extrema e ao lado de Jesus, reconhecendo a Divindade de Cristo e a inocência, numa prece curtíssima, disse: “Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino”. Embora a oração fosse curtíssima e sem as pieguices dos fariseus, Jesus, o Verbo Divino, respondeu: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso”.

Na hora extrema o ladrão que passara furtando e roubando, reconheceu o seu pecado e a pureza de Jesus, arrependido ficou do lado de Cristo e ao seu lado foi para o Céu, que Jesus o denominou de Paraíso.

Comprei uma obra de Bocage e, no hotel, no período noturno, antes de orar e agradecer o dia que Deus me dera, li alguns sonetos satíricos de Bocage e uma confissão na agonia: “Já Bocage não sou… A cova escura/ meu estro vai parar desfeito em vento…/ Eu aos céus ultrajei! O meu tormento/ leve me torne sempre a terra dura”. / No final, na famosa chave de ouro, lembrando-se de Pedro, o Aretino, que, como ele, fez sonetos licenciosos, disse: “Outro Aretino fui… A santidade/ manchei!… Oh! Se me creste, gente ímpia, / rasga meus versos, crê na eternidade! ”/ (Pedro Aretino era um poeta italiano e morreu em Veneza em 1557, autor de diálogos cheios de graça e vivacidade e de muitos sonetos licenciosos.)

Como ficaria feliz, se soubesse, que todos os que me leem se tornassem discípulos de Jesus e jamais morressem com o coração cheio de remorsos, mágoas e tristezas por não terem vivido bem e longe da cruz de Cristo.

Continuo parafraseando Fernando Pessoa: Ensinar é preciso.

Últimas

Correio Politico – Edição 1010

Experiência e Renovação A Federação Brasil Esperança (PV, PT e Pc do B) está com uma chapa forte de pré-candidatos a vereador. Unindo experiência e renovação, a chapa de pré-candidatos...

Câmara aprova projeto de substituição de sacos plásticos convencionais por ecológicos

Prefeitura e Câmara suspendem publicações em sites

Devido à lei eleitoral, a Prefeitura e a Câmara de Itapetininga suspenderam, temporariamente, a exibição de notícias no site e no semanário oficial que impliquem em publicidade institucional. A medida...

Confira as principais notícias de 2022

Jeferson Brun lança pré-candidatura

O atual prefeito de Itapetininga, Jeferson Brun, atualmente filiado ao Republicanos, lançou oficialmente sua pré-candidatura a prefeito de Itapetininga. Caso se confirme o apoio oficial, Brun terá a companhia de...

Novos nomes surgem para  vice-prefeito

Novos nomes surgem para vice-prefeito

Na edição passada, o Jornal Correio publicou seis nomes que estão na disputa para entrar de vice-prefeito em Itapetininga. Mais duas pessoas estão ainda no jogo como ex-secretário municipal de...

Clima desfavorável afeta produção de figo na cidade

Clima desfavorável afeta produção de figo na cidade

No município de Itapetininga, o clima desfavorável marcou a temporada de colheita de figos neste ano, conforme relata Daniel Nache, produtor local. “Este ano foi desafiador desde o início, com...

Rodovias registram 12 mortos em acidentes

Rodovias registram 12 mortos em acidentes

Durante o feriado prolongado de 9 de julho, as rodovias administradas pela CCR SPVias em Itapetininga e região registraram um saldo de 12 mortos e 51 feridos em 22 acidentes....

mais lidas

Assine o Jornal e tenha acesso ilimitado

a todo conteúdo e edições do jornal mais querido de Itapetininga

Bem vindo de volta!

Faça login na sua conta abaixo


Criar nova conta!

Preencha os formulários abaixo para se cadastrar

Redefinir senha

Por favor, digite seu nome de usuário ou endereço de e-mail para redefinir sua senha.