FOFOCAS

A fofoca é tão amaldiçoada quanto praticada.
Poucos reconhecem, mas são raros os ouvidos que não ficam entusiasmados, ao primeiro sinal de uma fofoca inédita. A curiosidade é a mais comum das características humanas.
Há muito foi desacreditado o mito de que a fofoca é uma especialidade feminina. Homens são tão fofoqueiros quanto as mulheres, só que comentam a vida alheia com pose de sérios.
Houve um tempo em que o cenário das fofocas era uma lata ou alguns tijolos, próximos ao muro, que permitiam a conversa entre vizinhas. Os homens preferem fofocar em padarias ou clubes.
Em salões de beleza e barbearias, a fofoca corre solta, e a vítima é sempre o ausente. A fofoca é a mais antiga das mídias, e foi iniciada ainda nas cavernas.
Originalmente, a fofoca, bem intencionada, era só noticiosa, dita novidadeira. Tratava-se de relato informal de algum fato, ocorrido com algum conhecido.
Ocorre que a maldade humana cuidou de apimentar a fofoca com versões injuriosas, desmerecendo personagens. O fofocado é sempre o último a saber do fato que circula de boca em boca, a seu respeito.
Fofoqueiras e fofoqueiros tradicionais costumam pedir, a outros, o segredo que não souberam guardar. De segredo em segredo, a versão acaba atingindo o domínio público.
A fofoca maldosa tem o condão de indispor pessoas, sem motivo declarado. Aos poucos, conhecidos vão se distanciando, sem que a fofoca que motivou o afastamento fosse sequer comentada.
Fofocas podem transformar um próspero empresário em traficante, um político sério em corrupto, uma esposa fiel em amante de todo o quarteirão, e assim em diante. A fofoca é a mais terrível das armas, pois não oferece qualquer chance de defesa.
A fofoca integra o rol de artifícios das campanhas políticas e concorrências comerciais, além de interferirem nas relações familiares, profissionais e até religiosas. Quanto menor o ambiente urbano, maior o malefício da fofoca.
Um divertido empresário, em épocas de eleição, divertia a todos com experiências de fofoca, em Piraju. Ia a um bairro afastado, soltava uma fofoca, e saia correndo para a padaria da praça, onde ficava cronometrando o tempo que a mesma levava para chegar ao estabelecimento. Era rapidíssimo !
Ouvidos precavidos soam como antídotos, e é fácil perceber que não há qualquer boa intenção na cidadã que diz ter ouvido que o vizinho tem um filho com uma amiga da prima da empregada.
A fofoca é um fenômeno social, e todos a praticamos, quando meramente novidadeira. Quando inventada, ou circulada para prejudicar, é pura maldade.
Mais uma vez, a falta de assunto, para o artigo da semana, conduz a inusitado tema. Sem fofoca !

Últimas

Correio Politico – Edição 1010

Experiência e Renovação A Federação Brasil Esperança (PV, PT e Pc do B) está com uma chapa forte de pré-candidatos a vereador. Unindo experiência e renovação, a chapa de pré-candidatos...

Câmara aprova projeto de substituição de sacos plásticos convencionais por ecológicos

Prefeitura e Câmara suspendem publicações em sites

Devido à lei eleitoral, a Prefeitura e a Câmara de Itapetininga suspenderam, temporariamente, a exibição de notícias no site e no semanário oficial que impliquem em publicidade institucional. A medida...

Confira as principais notícias de 2022

Jeferson Brun lança pré-candidatura

O atual prefeito de Itapetininga, Jeferson Brun, atualmente filiado ao Republicanos, lançou oficialmente sua pré-candidatura a prefeito de Itapetininga. Caso se confirme o apoio oficial, Brun terá a companhia de...

Novos nomes surgem para  vice-prefeito

Novos nomes surgem para vice-prefeito

Na edição passada, o Jornal Correio publicou seis nomes que estão na disputa para entrar de vice-prefeito em Itapetininga. Mais duas pessoas estão ainda no jogo como ex-secretário municipal de...

Clima desfavorável afeta produção de figo na cidade

Clima desfavorável afeta produção de figo na cidade

No município de Itapetininga, o clima desfavorável marcou a temporada de colheita de figos neste ano, conforme relata Daniel Nache, produtor local. “Este ano foi desafiador desde o início, com...

Rodovias registram 12 mortos em acidentes

Rodovias registram 12 mortos em acidentes

Durante o feriado prolongado de 9 de julho, as rodovias administradas pela CCR SPVias em Itapetininga e região registraram um saldo de 12 mortos e 51 feridos em 22 acidentes....

mais lidas

Assine o Jornal e tenha acesso ilimitado

a todo conteúdo e edições do jornal mais querido de Itapetininga

Bem vindo de volta!

Faça login na sua conta abaixo


Criar nova conta!

Preencha os formulários abaixo para se cadastrar

Redefinir senha

Por favor, digite seu nome de usuário ou endereço de e-mail para redefinir sua senha.