No bolinho, ainda a fama do distrito de Gramadinho

Retornando há pouco tempo ao Brasil, conhecido sírio-libanês que residiu por mais de meio século em São Miguel Arcanjo, estava ávido em saber se ainda existia o famoso “bolinho de frango” no distrito de Gramadinho. Informado sobre a iguaria, ainda com grande demanda, ele rumou ao local para constatar o fato.
Sem dúvida alguma, embora hoje o comércio do bolinho esteja disseminado em toda região, a maioria dos apreciadores entende ser o feito em Gramadinho ainda o melhor e o mais saboroso. Produzidos e vendidos há quase 110 anos, sempre no mesmo lugar, os bolinhos de frango continuam sendo conhecidos não só no Brasil, como no exterior. Farinha de milho de monjolo, carne de frango caipira, polvilho, ovos, manjerona e outros temperos diversos são os ingredientes que misturados tornaram os bolinhos famosos entre consumidores de todas as classes sociais.
Há quase 70 anos, no Bar São Cristovão, o saudoso Odilon de Freitas vendia os apetitosos bolinhos preparados pela esposa Antonia Deocleciano. Antes, de 1905 a 1940, naquela mesma localidade, o sogro de Odilon já vendia os bolinhos feitos então pela mulher Dona Francecuta, e que se chamavam na época “encapados” e que eram de frango ou linguiça. Eram vendidos aos que conduziam tropas e seguiam para Sorocaba, vindos do Rio Grande do Sul. Com o surgimento da estrada, a Rodovia Raposo Tavares, o local de vendas tornou-se parada obrigatória, com intenso movimento.
Farid Salomão, agente do INSS, hoje aposentado e que residiu no Gramadinho, lembra que os ônibus que seguiam para a Argentina e para o Uruguai, também paravam no estabelecimento para que os passageiros pudessem comprá-los e levá-los a familiares e conhecidos.
Políticos de renome como Júlio Prestes, Getúlio Vargas, Adhemar de Barros, o candidato a presidente Brigadeiro Eduardo Gomes, Janio Quadros, Luiz Carlos Prestes, Leonel Brizola ,o mitológico sacerdote D. Helder Câmara, e mais recentemente o Lula, comeram e elogiaram o petisco preparado pela família do comerciante, que recebeu até encomendas dos ocupantes de um carro oficial da Argentina, para levá-la ao então presidente Juan Domingues Peron.
Os proprietários, ao deixar o negócio, transferindo-o para os filhos, os bolinhos continuaram, porque todos tinham a receita e pretendiam seguir firmes no ramo.
Nesta passagem por Gramadinho, o imigrante sírio-libanês que percorre o Brasil, recordou-se de seus “patrícios” que residiam e mantinham negócios, ajudando o desenvolvimento de Gramadinho: Salomão José, José Adedo, Abilio Saad, Elias Jorge Daniel e Miguel Assad Macool, cujo filho ocupou, tempo atrás, a presidência do alvi-negro santista- o Santos Futebol Clube.
O distrito do Gramadinho que liga o Planalto ao litoral Sul do País, fica a 20 quilômetros de Itapetininga, na Raposo Tavares, próximo também dos municípios de São Miguel Arcanjo e Capão Bonito. Na primeira década deste século XXI, o então vereador Hiran Ayres Monteiro Júnior, (hoje ocupando o cargo de vice-prefeito) teve aprovado seu projeto que transformou o “Bolinho de Frango” em patrimônio histórico e cultural de Itapetininga. Em Itapetininga, vários estabelecimentos comercializam o nosso pagtrimônio.

Últimas

Câmara cassa mandato do vereador Codorna

Câmara cassa mandato do vereador Codorna

Na última quinta-feira, dia 22, em Sessão Extraordinária realizada na Câmara Municipal de Itapetininga (CMI), 15 dos 19 vereadores votaram pela cassação do mandato do parlamentar de oposição Eduardo Codorna...

Prefeitura promove Campanha com exames de Hepatite B e C

Prefeitura promove Campanha com exames de Hepatite B e C

No mês em que é celebrado o “Dia Internacional do Combate às Hepatites Virais”, a Prefeitura de Itapetininga, por meio da Secretaria de Saúde e Departamento de Vigilância Epidemiológica promovem...

mais lidas

Assine o Jornal e tenha acesso ilimitado

a todo conteúdo e edições do jornal mais querido de Itapetininga