Rádios

O rádio resiste ao tempo, sendo, até hoje, eficiente meio de comunicação.
Ao contrário da TV, que exige o emprego de olhos e ouvidos, o rádio permite a audiência enquanto outras atividades são exercidas. Pedreiros trabalham sob o som de rádios portáteis, estrategicamente postados sobre um muro.
Alguns, surdos ou deseducados, elevam absurdamente o som dos aparelhos, causando transtornos à vizinhança, sequiosa pelo lançamento de algum material que remova o rádio de sua confortável posição. São comuns as desavenças pela utilização inadequada de rádios.
O rádio noticia, transmite jogos, música e ensinamentos religiosos. A audiência costuma ser grande, e não são raros os casos de radialistas que acabam eleitos, graças à popularidade que conseguem.
Como poderoso instrumento de publicidade, o rádio é útil também na comunicação de mensagens oficiais, como campanhas de vacinação, modificações no trânsito, horário de funcionamento de repartições, etc. O rádio pode induzir popularidades ou nutrir impopularidades, segundo o interesse político de seus controladores ou radialistas.
Não raro, rádios são controladas por políticos, elementos preferenciais de muitas concessões públicas. Possuir uma rádio é deter o controle de poderoso meio de comunicação.
A rádio, como tudo, opera sob o império das leis, respondendo pelos conteúdos que irradia, civil e criminalmente. São comuns os pedidos de resposta e ações de indenização.
As rádios deveriam ser forçadas à utilização de bom vernáculo, elemento raro nas transmissões, que acabam difundindo grosseiros erros de concordância. Assim, podem acabar transformadas em elemento de difusão de hábitos deseducados e pouco instruídos de utilização da língua pátria.
Também as rádios devem ser instadas, de maneira coercitiva, a não reprodução de mensagens publicitárias de duvidosa probidade. Não raro, principalmente nas manhãs e fins de tarde, ocorrem pregações de produtos mágicos, que curam câncer, unha encravada, Alzheimer, alcoolismo, ciumeira e nó-ceguismo.
As rádios partidariamente instrumentadas corrompem nosso sistema eleitoral, erigindo ou demolindo reputações, dia a dia. Podem, se mal geridas, exercer camuflada e rotineira propaganda, ou subliminar desconstrução de biografias.
A transmissão anima as sessões das Câmaras Municipais. Enquanto há transmissão, os discursos são mais contundentes e demorados.
Mesmo com o advento da TV e internet, as rádios prosseguem com grandes audiências. Tomara que percebam a influência que exercem, na educação e grau civilizatório dos milhões de ouvintes.

Últimas

Itapetininga tem quase 300 casos de dengue confirmados

Cidade registra 450 casos de Dengue em uma semana

Itapetininga registrou 450 novos casos de Dengue em uma semana. Ao todo, a cidade confirmou neste ano 1.531 casos positivos da doença. Um único caso de Chikungunya foi identificado em...

Queimadas aumentam em mais de 30% em 2024

Queimadas aumentam em mais de 30% em 2024

Em Itapetininga, nos primeiros quatro meses do ano, houve um aumento de 30% nos registros de queimadas em comparação com o mesmo período do ano passado. De acordo com os...

mais lidas

Assine o Jornal e tenha acesso ilimitado

a todo conteúdo e edições do jornal mais querido de Itapetininga

Bem vindo de volta!

Faça login na sua conta abaixo


Criar nova conta!

Preencha os formulários abaixo para se cadastrar

Redefinir senha

Por favor, digite seu nome de usuário ou endereço de e-mail para redefinir sua senha.