Sirene mobilizava 1.300 operários

O aviso sonoro e prolongado facilmente alcançava toda a cidade de Itapetininga, de norte a sul, em sua quietude matinal. Era o horário sagrado para muitos acordarem, não só para a labuta diária, como também alertando os jovens estudantes que frequentavam as escolas locais. Como hoje lembra a comerciária Érica Dias Batista, que naquela época frequentava a escola “Fernando Prestes”, e de sua residência, na Vila Orestes, acordava para ir às aulas.

Mas, além desse aviso, agudo e também agradável, ele era destinado especialmente aos briosos trabalhadores da “Magister”, imponente fábrica de confecções, um dos orgulhos desta terra, na atual Cel. Pedro Dias Batista, esquina com a rua Rodolfo Miranda Leonel, antigo terreno pertencente a João Neponuceano.

Um prédio adaptado para a indústria, com trabalhadores exclusivamente itapetininganos, fabricava com esmero e perfeição ternos, camisas, calças e notadamente fardas militares não só para todas as unidades do Exército Brasileiro nos Estados, como jaquetas e outros acessórios destinados aos EUA , Angola e África do Sul.

Foi o empreendedor, empresário Sylvio Arap, da capital paulista, depois radicado neste município que ajudou a desenvolver, quem a instalou modernamente, isto no distante 1964, ano marcado pela implantação do regime militar no país , que se prolongou por 21 longos anos. Antes a fábrica pertencia ao uruguaio Jayme Sapiro, funcionando com poucas máquinas, com produção diminuta das famosas calças de tecido tergal. Como funcionários viajantes integravam, entre outros, Ethiel Wey, o saudoso Caboclinho e o futebolista do craque, o lembrado Liceu, falecido recentemente.

O prédio, hoje desativado e relativamente abandonado, funcionou até 2006, estando em atividades similares na rua Alfredo Maia. Trabalhavam na empresa mais de 1.300 operários, em três turnos, quando toda cidade ouvia o som do aparelho que despertava a população.

A edificação foi construída na década de 1950, onde então se encontrava em atividade o fidalgo “Cine Aparecida do Sul”, cujo nome foi escolhido através de consulta popular aoss moradores daquela área, para homenagear à Padroeira do Brasil, e, outro motivo, por residir grande número de italianos e descendentes daquele país europeu na região. Tanto que, lá cresceu e desenvolveu-se o Jardim Itália, um dos mais famosos e adiantados loteamentos da cidade.

O cinema, segundo Roberto Duarte, descendente da família Duarte, estabelecida em Itapetininga com armazém atacadista na rua Quintino Bocaiúva com a José Bonifácio, foi festivamente inaugurado com a exibição da premiada película francesa “O Salário do medo”, estrelado por Ivens Montand e grande elenco. Foi classificado de alto luxo e comparado com os melhores cinemas existentes na capital paulista.

Foi palco de grandes espetáculos teatrais e musicas, lembrando-se, até hoje, das homenagens prestadas ao cantor itapetiningano Almir Ribeiro, morto tragicamente em Punta Del Leste, no Uruguai. Hoje o prédio, abandonado, sobrevive no esquecimento de toda população, ignorando-se seu destino num futuro não tão próximo. O grupo Sylvio Arap adquiriu a enorme construção da Cia. Continental de Automóveis.

Últimas

CORREIO POLÍTICO 1012

CORREIO POLÍTICO 1012

Presidente Lula na região Na próxima terça-feira, dia 23, o presidente Lula estará na nossa região, em visita ao Campus Universitário Lagoa do Sino, da Universidade Federal de São Carlos...

Curso superior gratuito paralisa sua expansão

Curso superior gratuito paralisa sua expansão

Nos últimos oito anos, a expansão dos cursos gratuitos de graduação da Fatec e do IFSP foi paralisada em Itapetininga. No período, ex-prefeita Simone Marquetto (MDB), que governou a cidade...

Justiça Eleitoral paulista fará transmissão de boletins de urna por satélite nas Eleições 2022

TSE divide R$ 4,9 bi a 29 partidos políticos

Com R$ 4,9 bilhões, o Fundo Especial de Campanha já tem o destino certo dos valores para cada partido político no Brasil. Como já era projetado, o PL e o...

Instalação de curso  de Medicina é marco

Instalação de curso de Medicina é marco

A educação de nível superior registrou um forte avanço na gestão Simone Marquetto com a abertura do curso de Medicina do campus da Universidade São Caetano do Sul (USCS). A...

mais lidas

Assine o Jornal e tenha acesso ilimitado

a todo conteúdo e edições do jornal mais querido de Itapetininga

Bem vindo de volta!

Faça login na sua conta abaixo


Criar nova conta!

Preencha os formulários abaixo para se cadastrar

Redefinir senha

Por favor, digite seu nome de usuário ou endereço de e-mail para redefinir sua senha.