A humildade de ser melhor que os outros

Do latim ‘humilitas’: é a virtude que consiste em conhecer as suas próprias limitações e fraquezas, e agir de acordo com essa consciência.

Em tempos de egocentrismos tão exacerbados quanto frágeis e do culto a personalidades (produzidas e comercializadas em escala industrial), a humildade não tem tido muito protagonismo, no que diz respeito aos traços de personalidade “desejáveis”. Em um mundo onde o sucesso pessoal só depende do indivíduo (alô alô meritocracia), onde uma mega indústria de ‘coaches’ está aí pra ensinar cada um de nós a sermos nós mesmos (seguindo todos a mesma cartilha, of course! – a ajuda pra se auto-ajudar), ser humilde é “não acreditar” em si, é se “auto-boicotar”, é não querer “sair da zona de conforto”…

Basicamente, ser humilde é ser um perdedor. A não ser que você seja muito rico, porque daí o simples fato de você cumprimentar o porteiro do seu prédio já faz de você uma pessoa “humilde” (e não apenas minimamente civilizado), agora sim no sentido mais positivo da palavra.

Mas vamos ao que a Psicologia pode dizer sobre esse traço de personalidade, muitas vezes mal compreendido. Em uma série de estudos realizados ainda no início da década de 90, a Dra. Krumrei Mancuso, da Universidade de Pepperdine, nos EUA, através de um questionário formulado para ajudar a medir o grau de “humildade intelectual” das pessoas, chegou aa conclusão de que dita “humildade intelectual” não tinha relação direta com o Q.I. dos participantes, nem com suas crenças religiosas ou políticas, mas sim com o grau de curiosidade, com a capacidade de reflexão e com o quão “cabeça aberta” eram os sujeitos do estudo (quanto mais intensos esses traços, maior o nível de humildade).
Em um estudo subsequente, a mesma Dra. Mancuso apresenta um questionário a um grupo de voluntários, para que estes aferissem o quanto eles concordam com afirmações como: “sinto-me diminuído quando os outros não concordam comigo”, “normalmente os outros tem mais a aprender comigo do que eu com os outros”, e outras frases do tipo. Ao analisar as respostas, a pesquisadora concluiu que quanto maior o nível de concordância com as afirmações (nada humildes) acima, maior era também o nível de “fanatismo” desses indivíduos no que se refere, principalmente, a política e religião. Ao mesmo tempo, as pessoas “mais intelectualmente humildes” eram também pessoas bem mais moderadas, em suas próprias e diversas religiões, bem como em suas também variadas convicções políticas. Ou seja, quanto menos a pessoa acha que sabe, mais ela está disposta a ouvir e aprender. Quanto mais ela acha que sabe, maior a tendência aa intolerância e aa agressividade.

No momento em que escrevo esta coluna, circula pela internet um vídeo do jornalista Augusto Nunes desferindo um golpe na cara do também jornalista Glenn Greenwald, ao vivo em um programa de rádio. De todo o lamentável episódio, a impressão que mais me marcou foi a de que o Sr. Augusto, do alto de sua idade e seus anos de experiência jornalística, talvez tenha se deixado levar um pouco pela tentação da vaidade inerente ao ofício daqueles que “falam” pelos outros, e acabou acreditando que mais tem a ensinar (ainda que a socos) do que a aprender.

Últimas

Pessoas de 57 anos ou mais serão vacinadas hoje

Prefeitura divulga novo cronograma de vacinação

TERÇA-FEIRA – 03 DE AGOSTO 1ª DOSE 24 ANOS OU MAIS – Pessoas sem comorbidades (Drive-thru e a pé nos dois pontos de vacinação) Atende Fácil da Prefeitura e Ginásio...

Isabelly vibra com sucesso das “minas” no skate

Isabelly vibra com sucesso das “minas” no skate

A skatista itapetiningana Isabelly Ávila, de apenas 16 anos, por pouco não se classificou para as Olímpiadas de Tóquio, mas mesmo de longe, segue torcendo pelos atletas estreantes da modalidade...

HLOB está com 100% de ocupação nos leitos para Covid

Hospital de Campanha e UTI do HLOB estão100% ocupadas

A UTI Respiratória do Hospital Léo Orsi Bernardes (HLOB) e o Hospital de Campanha Interno estão 100% ocupados. Preparada para receber pacientes infectados com a Covid-19, a UTI recebe pacientes...

Bolsa Família injeta R$ 5,37 milhões na economia

Bolsa Família injeta R$ 5,37 milhões na economia

Itapetininga recebeu no primeiro semestre, por meio de repasse do Programa Bolsa Família cerca de R$ 5,37 milhões. A informação é do portal de transparência do Governo Federal. Este valor...

mais lidas

Assine o Jornal e tenha acesso ilimitado

a todo conteúdo e edições do jornal mais querido de Itapetininga