Agenda – 531

Reunião
Em recepção social na casa de Rosana Campos Galvão, em Vila Rosa, no último março (esquerda para direita): Flávio Augusto Vasconcellos Ferrari Filho, engenheiro da Saesp local, Célio “Castor”, professor da Escola Municipal de Música e Osni Araújo, engenheiro da Sabesp daqui.

 

Indignação
Segmentos do professorado da rede estadual de ensino daqui de Itapetininga, ficaram horrorizados (a palavra é esta – horror!) diante das violentas cenas transmitidas pela televisão e internet do confronto entre a polícia militar paranaense e os servidores estaduais daquele Estado, principalmente do magistério de lá, acontecido em Curitiba, na penúltima quarta-feira, vinte e nove. No citado confronto em frente à Assembleia Legislativa daquele Estado, a corporação militar lançou bombas de gás lacrimogêneo, balas de borracha e jatos de água quando os manifestantes tentaram entrar na Assembleia para assistirem a votação que modificava a previdência dos funcionários públicos, prejudicando os mesmos. O governador do Estado do Paraná, Beto Richa (do P.S.D.B.) é lógico, deu toda razão a sua polícia militar. Toda.

Theresinha…
Ex-secretária municipal da Educação aqui (no primeiro governo do ex-prefeito Roberto Ramalho), a agora “promoter” Vera Lúcia Abdala levou a sua turma de itapetininganos, no penúltimo domingo, vinte e seis, para assistir no teatro Alfa, em Santo Amaro, na cidade de São Paulo, o espetáculo “Chacrinha, o musical”, texto de Pedro Bial, direção de Andrucha Washington e no elenco (aliás, muitas pessoas em cena) o ator Stepan Nercessian vivendo o comunicador “Chacrinha” (na vida real, o locutor Abelardo Barbosa) em alguns importantes momentos de sua infância e mocidade no interior de Pernambuco até sua chegada ao Rio de Janeiro, então capital da república, na década de quarenta, sua passagem pelo rádio carioca (Tupi, inclusive) e sua transformação no apresentador televiso Chacrinha (principalmente na TV Globo). Seus programas, televisivos “Cassino do Chacrinha” e “Discoteca do Chacrinha” são mostrados em luxuosas cenas e cenários, assim como suas eternas brigas com Boni, então o homem forte da TV Globo pois o comunicador se defrontava com a Censura imposta pela ditadura militar. Espetáculo emocionante e aplaudidíssimo ao final. Quem foi com Vera Abdala: Eza (Abrão) – Alberto Isaac, Leda Sacco, as irmãs Valderes e Viviane Sacco, Maria de Lourdes Holtz, Maria Shiomi, Lúcia Ferraz, Olga Pellegrini, Tânia Moreno, Elenice Mendes Tarcia, Sonia Moreno, José Henrique Mendes Tarcia, Onofre Gouveia, Maria Helena Marino, Abigail Vieira de Souza Moraes, Neusa Trevisani, Daniela Ferraz (filha de Lúcia), entre outros.
No pós-espetáculo
Depois do esperado (e lotado) recital no teatro do Sesi, em Vila Rio Branco, o cantor e compositor Guilherme Arantes (cujas músicas “não saíam” das novelas da TV-Globo, nas décadas de oitenta e noventa) foi jantar no restaurante “Árabe” e elogiou muito (muito mesmo) a culinária do local.

Reclamações
A recente medida imposta pelo Sesi de exigir reservas pela internet para os espetáculos em seu teatro, em Vila Rio Branco não agradou em nada (nada mesmo) segmentos do pessoal da chamada “terceira idade” (mais de sessenta anos) que assistem fielmente suas peças de teatro e musicais. Este pessoal tem dificuldade de manusear o computador e mesmo que consiga a reserva não tem tempo ou tem dificuldade de trocá-la por ingresso, no meio da semana, como que o edital da entidade. E como todos sabem, o teatro do Sesi não fica perto. Exemplo: o aposentado Edson Zaglobinsky de Campos (do Departamento de Recursos Humanos do Departamento de Estradas e Rodagem, o DER local) bem que tentou conseguir reserva na internet para o “show” do cantor e compositor Guilherme Arantes (que aconteceu no penúltimo sábado, vinte e cinco) mas não conseguiu. O formulário que devia ser preenchido estava bloqueado. Tentou várias vezes e não conseguiu. Edson sabia que não são todos os ingressos que devem ser reservados, mas mesmo assim viu suas chances diminuídas. Desistiu. E não sabe quando voltará a assistir um espetáculo no teatro da Vila Rio Branco. Está muito decepcionado. Muito.

Birthdays
Três cidadãs itapetininganas comemoraram neste último abril, mudança de idade: no penúltimo sábado, vinte e cinco, Theodora Piza, professora de Língua Portuguesa da rede estadual de ensino, já aposentada; na penúltima segunda-feira, vinte e sete, Tânia Moreno, professora de Língua Portuguesa e Márcia de Almeida Palomo, professora de Francês. E já neste mês de maio, na última segunda-feira, quatro, Rosana Célia Cheque, administradora hospitalar.

Night
No penúltimo sábado, vinte e cinco, restaurante “Magnólia”, em Vila Rosa, em uma mesa os casais Valéria (Cheque) – Rafael Granato Junior, ela, advogada e ele, delegado de polícia e Alba – Ciro Cheque de Campos Junior, ele, médico ginecologista e obstetra. O garoto Pedro, filho de Valéria e Rafael também presente. Em outra mesa: Kiki – Marcelo Moraes, do buffet “LécomKré”, daqui.

Luto
Faleceu aqui no dia dezoito (abril), a professora Elisa César de Moraes Leonel. Descendente de tradicional família itapetiningana, Elisa era filha de Flora Prestes César e de Romeu de Moraes, ambos professores e sobrinha-neta de Júlio Prestes de Albuquerque (eleito, mas não empossado, presidente da república em 1930). Viúva de Mauro de Mello Leonel (Banco do Brasil) deixa os filhos Maria Célia, Mauro Junior, Maria Elisa, Márcio e Maria Luiza, netos e bisnetos. Elisa César (ou Elisinha, como era chamada) iria fazer noventa anos de idade no próximo trinta de junho.

Doces anos
Presidente do Museu da Imagem e Som local, o dentista Roberto Soares Hungria, comentando: – “O diretor Roberto Thalma, da Tv Globo, falecido recentemente produziu muitas novelas e minisséries e entre estas, uma inesquecível “Anos Dourados” com Malu Mader e Felipe Camargo, em 1986 (e bastante reprisada). Toda vez que assisto lembro de minha juventude e as cenas de baile lembram muito os grandes bailes do Clube Venâncio Ayres, principalmente aqueles de formaturas com excelentes orquestras como a “Pan America” de Edil Lisboa e outros do interior paulista e da capital. Eram acontecimentos deslumbrantes e que dá uma imensa saudade”.

Últimas

Cidade tem 25 mortes em sete dias e UTIs estão 100% lotadas

Cidade registra 24 mortes em apenas dez dias

Os primeiros dez dias do mês de junho registram uma marca preocupante, a cidade confirmou 24 mortes em decorrência da Covid-19 e 579 novos casos. Nesta quinta-feira, dia 10, o...

Modelo denuncia racismo em oferta de trabalho

Modelo denuncia racismo em oferta de trabalho

A modelo e estudante de fisioterapia Bruna Campos denunciou uma situação de racismo que sofreu durante uma oferta de trabalho. Ela combinava, pelo whatsapp, detalhes de um trabalho freelancer que...

mais lidas

Assine o Jornal e tenha acesso ilimitado

a todo conteúdo e edições do jornal mais querido de Itapetininga