“Ainda Uma Vez, Adeus!”

Como ela ficou linda! Não era mais aquela adolescente que a conheci na escola. Era mulher! “O vestido decotado sublinhava admiravelmente a gentileza do busto, o estreito da cintura e o relevo delicado das cadeiras”, como diria o poeta realista. Logo que me viu, lembrou-se do passado e, com um sorriso largo e de satisfação, disse:
– Que prazer vê-lo. Não mudou nada. É o mesmo guapo rapaz.
Ela usou palavras da época.
Fiquei lisonjeado, mas sabia que havia um pouco de exagero. Não era mais aquele que provocava suspiros. Os anos corroeram a minha face, como a traça o papel. Conservava, sim, a mesma alegria, a mesma a voz dos tempos idos, porém eu era outro.
– “Deus colocou a eternidade no coração do homem”, disse eu, citando Eclesiastes 3:11.
Ela pôs em mim os olhos radiantes e eu fiquei a olhar para ela como para uma filha. O meu amor fora platônico. A saudade, no entanto, era grande e foi, nessa hora, que ela se lembrou de uma reflexão que eu fizera com o seu nome e recitou-a sem gaguejar:
Michelle, você está na fase dos sonhos, quando o passado não existe, o presente é uma quimera e o futuro uma esperança de alegrias sem par. Lembre-se de que você foi criada por Deus e para Deus. Lembre-se de que você tem um coração cheio de amor e que bate dia e noite sem parar, independente de sua vontade, porque é formado de um músculo involuntário, mas dependente daquele que é Eterno. Lembre-se de que você é importante, pois foi criada a imagem e semelhança do Eterno, que é onipotente, onisciente e onipresente. Lembre-se de que você é a alegria de um lar, de uma família e que todos a amam. Lembre-se de que você provoca sonhos e sem você alguém não é feliz. Lembre-se de que você é fruto de um amor conjugal passageiro, mas cuja fonte se encontra no amor eterno da morada celestial. Lembre-se de que você é ímpar, porém um dia formará um par com alguém que dirá numa declaração de amor: “Você é osso dos meus ossos e carne da minha carne. Lembre-se de que você é objeto do amor Divino e que Cristo morreu na cruz para lhe dar a vida eterna feliz. Lembre-se do seu Criador, antes que venham os maus dias e chegue a dizer: Não tenho neles contentamento. Lembre-se de tudo isso e agradeça a Deus que lhe criou, dotando-a de formosura, bondade e inteligência.
Logo que ela terminou, peguei-lhe na mão com a direita e, com a minha mão esquerda, apertei-a, sentindo o seu calor. Disse algumas palavras que não registro para poupar tempo e papel. Fiquei embasbacado pela emoção. Depois, antes que as lágrimas rolassem pela minha face, disse adeus. Fui embora, sem olhar para trás, quando me lembrei do poema de Gonçalves Dias, o poeta romântico: “Ainda uma vez, Adeus!”

Últimas

Começou esta semana a vacinação contra a gripe em idosos e profissionais da saúde

Sábado é dia de vacinação contra a Covid e Gripe

Com a grande adesão da população às repescagens da vacinação contra Covid-19 realizadas aos sábados no shopping de Itapetininga, a Secretaria de Saúde do município decidiu incluir no esquema de...

Vitrine – Realismo

Vitrine – Realismo

A coluna Vitrine desta semana apresenta algumas produções dos alunos do Art Studio & Atelier Henrik Ribeiro.Henrik Ribeiro trabalha há dois anos e meio como tatuador. Ele sempre pensou em...

Confira a programação no aniversário de Alambari

Confira a programação no aniversário de Alambari

A prefeitura de Alambari preparou diversas atividades em comemoração ao 30° aniversário de emancipação político-administrativa. A agenda começou no último sábado, dia 14, com concurso da rainha do rodeio e...

mais lidas

Assine o Jornal e tenha acesso ilimitado

a todo conteúdo e edições do jornal mais querido de Itapetininga