Arco Íris e o Fim

Houve um tempo que não chovia. A terra era umedecida de baixo para cima. Havia um dossel de águas que envolvia o globo terrestre. O clima era um só. Como não havia variação climática, o homem vivia muitos anos. Adão, o primeiro homem, viveu novecentos e trinta anos e gerou filhos e filhas, embora a Bíblia só fala de três. O homem que mais viveu foi Metusalém, pois chegou aos novecentos e sessenta e nove anos. Foi nesse período de longevidade humana que Noé construiu uma arca ou um grande navio por ordem divina. Noé era um homem justo e íntegro, neto de Metusalém, e vivia numa sociedade corrupta, onde a maldade campeava por todos os lados. A terra, afirma Moisés, o cronista da criação, estava corrompida a vista de Deus e cheia de violência. O Criador, diante disso e depois disso, resolveu dar cabo de toda carne, porque a terra estava cheia de violência.
Tudo isso, caro leitor, fiquei sabendo por meio de vários livros, cujos autores apelaram para várias ciências.
Diz o livro sagrado dos judeus e dos cristãos que o Onipotente escolheu Noé para salvar a humanidade. A arca que Deus mandou construir media cento e trinta metros de comprimento, vinte e dois metros de largura e treze metros de altura. Enquanto Noé construía a arca, pregava a salvação e o arrependimento, porém os homens não ouviram a mensagem e não atenderam ao apelo do homem mais íntegro e cheio de fé daquela época.
Logo que Noé terminou a construção do grande navio, depois de betumar por dentro e por fora, Deus encaminhou todos os animais que foram entrando miraculosamente. Ocorreu o que acontece até hoje, os animais, pelo seu instinto natural de sobrevivência, sabem quando vai acontecer uma grande catástrofe meteorológica e procuram se esconder e invernar. Por fim entraram, na grande embarcação, Noé e seus familiares. Oito pessoas salvaram-se e todas as demais pereceram, uma vez que não atenderam a advertência e o apelo de Noé.
O neto de Metusalém, quando entrou na arca, fechou a porta por dentro com tranca e Deus, por fora, com chave que ninguém abre. Choveu quarenta dias e quarenta noites. As águas prevaleceram, de modo que a arca vagava sobre as águas. Todas as montanhas foram cobertas e todas as criaturas morreram afogadas. Só se salvaram Noé e a sua família. As águas predominaram sobre a terra durante cento e cinquenta dias. A história completa está no livro de Gênesis.
Depois do dilúvio, Deus fez uma aliança com o homem e disse: “Porei nas nuvens o meu arco; será por sinal da aliança entre mim e a terra. Sucederá que, quando eu trouxer nuvens sobre a terra, e nelas aparecer o arco, então eu me lembrarei da minha aliança, firmada entre mim e vós e todos os seres viventes de toda a carne; e as águas não mais se tornarão em dilúvio para destruir toda a carne…” Enquanto houver primavera, verão, outono e inverno, Deus não destruirá a terra. As estações estão se misturando e o fim está chegando. Agora será com fogo. O aquecimento global está aí e ninguém conseguirá evitá-lo.
O arco íris é o símbolo do fim e ele está no céu e na terra. Jesus está voltando para julgar os vivos e os mortos. Noé está pregando, porém, os homens não querem ouvi-lo.

Últimas

Começou esta semana a vacinação contra a gripe em idosos e profissionais da saúde

Sábado é dia de vacinação contra a Covid e Gripe

Com a grande adesão da população às repescagens da vacinação contra Covid-19 realizadas aos sábados no shopping de Itapetininga, a Secretaria de Saúde do município decidiu incluir no esquema de...

Vitrine – Realismo

Vitrine – Realismo

A coluna Vitrine desta semana apresenta algumas produções dos alunos do Art Studio & Atelier Henrik Ribeiro.Henrik Ribeiro trabalha há dois anos e meio como tatuador. Ele sempre pensou em...

Confira a programação no aniversário de Alambari

Confira a programação no aniversário de Alambari

A prefeitura de Alambari preparou diversas atividades em comemoração ao 30° aniversário de emancipação político-administrativa. A agenda começou no último sábado, dia 14, com concurso da rainha do rodeio e...

mais lidas

Assine o Jornal e tenha acesso ilimitado

a todo conteúdo e edições do jornal mais querido de Itapetininga