Arco Íris e o Fim

Houve um tempo que não chovia. A terra era umedecida de baixo para cima. Havia um dossel de águas que envolvia o globo terrestre. O clima era um só. Como não havia variação climática, o homem vivia muitos anos. Adão, o primeiro homem, viveu novecentos e trinta anos e gerou filhos e filhas, embora a Bíblia só fala de três. O homem que mais viveu foi Metusalém, pois chegou aos novecentos e sessenta e nove anos. Foi nesse período de longevidade humana que Noé construiu uma arca ou um grande navio por ordem divina. Noé era um homem justo e íntegro, neto de Metusalém, e vivia numa sociedade corrupta, onde a maldade campeava por todos os lados. A terra, afirma Moisés, o cronista da criação, estava corrompida a vista de Deus e cheia de violência. O Criador, diante disso e depois disso, resolveu dar cabo de toda carne, porque a terra estava cheia de violência.
Tudo isso, caro leitor, fiquei sabendo por meio de vários livros, cujos autores apelaram para várias ciências.
Diz o livro sagrado dos judeus e dos cristãos que o Onipotente escolheu Noé para salvar a humanidade. A arca que Deus mandou construir media cento e trinta metros de comprimento, vinte e dois metros de largura e treze metros de altura. Enquanto Noé construía a arca, pregava a salvação e o arrependimento, porém os homens não ouviram a mensagem e não atenderam ao apelo do homem mais íntegro e cheio de fé daquela época.
Logo que Noé terminou a construção do grande navio, depois de betumar por dentro e por fora, Deus encaminhou todos os animais que foram entrando miraculosamente. Ocorreu o que acontece até hoje, os animais, pelo seu instinto natural de sobrevivência, sabem quando vai acontecer uma grande catástrofe meteorológica e procuram se esconder e invernar. Por fim entraram, na grande embarcação, Noé e seus familiares. Oito pessoas salvaram-se e todas as demais pereceram, uma vez que não atenderam a advertência e o apelo de Noé.
O neto de Metusalém, quando entrou na arca, fechou a porta por dentro com tranca e Deus, por fora, com chave que ninguém abre. Choveu quarenta dias e quarenta noites. As águas prevaleceram, de modo que a arca vagava sobre as águas. Todas as montanhas foram cobertas e todas as criaturas morreram afogadas. Só se salvaram Noé e a sua família. As águas predominaram sobre a terra durante cento e cinquenta dias. A história completa está no livro de Gênesis.
Depois do dilúvio, Deus fez uma aliança com o homem e disse: “Porei nas nuvens o meu arco; será por sinal da aliança entre mim e a terra. Sucederá que, quando eu trouxer nuvens sobre a terra, e nelas aparecer o arco, então eu me lembrarei da minha aliança, firmada entre mim e vós e todos os seres viventes de toda a carne; e as águas não mais se tornarão em dilúvio para destruir toda a carne…” Enquanto houver primavera, verão, outono e inverno, Deus não destruirá a terra. As estações estão se misturando e o fim está chegando. Agora será com fogo. O aquecimento global está aí e ninguém conseguirá evitá-lo.
O arco íris é o símbolo do fim e ele está no céu e na terra. Jesus está voltando para julgar os vivos e os mortos. Noé está pregando, porém, os homens não querem ouvi-lo.

Últimas

Rita de Cássia Moraes Leonel

Rogério Sardela retorna aos palcos

Depois de quatorze anos, um experiente ator da cena teatral itapetiningana retornou aos tablados, Rogério Sardela, com a peça “Agora Eu Tô Solteiro” de sua autoria. A comédia é dirigida...

Preconceito de marca: as relações raciais em Itapetininga

Preconceito de marca: as relações raciais em Itapetininga

Um longo trabalho de investigação sociológica feito por Oracy Nogueira que reúne 12 enunciados comparativos sobre o preconceito nas relações raciais em Itapetininga, originou um estudo com o título “Preconceito...

Rita de Cássia Moraes Leonel

Rita de Cássia Moraes Leonel

Família Mello Moraes Família Moraes Leonel   Primeiramente, a Rita nunca iria deixar a gente escrever ou falar algo sobre ela. Certamente se incomodaria com isso… Mas não dá pra...

Semana registra 44 novos casos de Covid-19

HLOB tem queda nas cirurgias eletivas em 2024

O Hospital Doutor Léo Orsi Bernardes (HLOB) registrou uma queda no número de cirurgias eletivas realizadas em 2024, comparado ao ano anterior. Segundo a assessoria de imprensa do HLOB, no...

mais lidas

Assine o Jornal e tenha acesso ilimitado

a todo conteúdo e edições do jornal mais querido de Itapetininga

Bem vindo de volta!

Faça login na sua conta abaixo


Criar nova conta!

Preencha os formulários abaixo para se cadastrar

Redefinir senha

Por favor, digite seu nome de usuário ou endereço de e-mail para redefinir sua senha.