As festas e um homem só

Inicialmente, e isso não foge à regra, tornou-se comum e tradicional, inserido na cultura universal, proceder eventos festivos que se desenvolvem nas camadas favorecidas pela sorte, em épocas apropriadas, como o Natal e a passagem do ano.
Famílias, nesta última terça-feira, se reuniram à mesa, participando da ceia, degustando vários e saborosos pratos especiais – feitos na própria residência ou encomendados- e as indefectíveis bebidas, em ambiente fino e agradável, demonstrando alto espírito cristão e uma solidariedade irrestrita.
Além da expectativa das crianças em acordar e receber os presentes do Papai Noel, os adultos independentemente de idade, em todas as famílias, efetuaram a brincadeira do “amigo secreto” equiparando ao agrado às crianças com os de maior idade.
Cenário um pouco em desuso, também o presépio, um encanto que os próprios familiares montaram, curtindo as próprias peças consideradas abençoadas.
Almoço com sobremesas, frutas e distribuição de brinquedos, foi ofertado por entidades assistenciais e particulares, “estes solicitando doações de ingredientes para a pomoção dos acontecimentos”. Calcula-se em centenas as crianças destituídas de posses que foram aquinhoadas “com uma boa alimentação e presentes… tudo transcorrido em clima festivo e cheio de bondade”, como acentuou Gerorgina de Lima Raid, uma das vountárias deste louvado trabalho.
Outra demonstração de solidariedade humana foi a proporcionada por Caio (Cacá), altamente religioso e filho do saudoso Ari de Almeida, “o Ari Codorna”. Na praça N.S. Aparecida ofereceu substancial almoço a dezenas de moradores de rua e alcoolatras anonimos. O próprio Cacá “bancou” toda despesa e, com alguns companheiros preparou a suculenta alimentação.

Desacompanhado e ignorado
Considerado épico do cinema, um filme versando inteiramente sobre o Natal, finaliza com o ator Akim Tamiroff na rua, envelhecido e castigado pelo tempo, observando sob intensa nevada e sentidas emoções a “ceia natalina” em que uma familia com dezenas de membros comemorava o nascimento de Cristo.
Veio-nos à lembrança a cena, em razão da existência na cidade de um personagem que há muito perambula pelas ruas locais, completamente desconhecido e sem qualquer identidade. De média estatura, com peso pouco acima de 75 quilos, trajando sempre calça amarela larga e camisa branca, chinelos havaianas, além de barba rala e esbranquiçada, tem como característica o andar sempre rápido “como a procura de alguém ou prestes a apanhar alguma condução”, como observou o comerciante Zécaborba Soares.
Muitas vezes é visto espairecendo-se e alguns bancos das Praças da Matriz, do Rosário ou do Mercado, completamente só e um olhar distante … Sabe-se, segundo rápido diálogo travado, sempre reticente – que ele residiu no litoral sul, criado por um tio, tranferiu-se para S. Miguel Arcanjo, trabalhou em Sorocaba como pedreiro e há muitos anos mudou-se para Itapetininga. Diz que gosta desta cidade e recebe uma pequena aposentadoria. Não tem parentes nenhum, conforme afirmação e nunca se reuniu com a família (que nunca existiu), não sabe cozinhar e nem quer conversar com quem quer que seja. Neste Natal seguiu sua rotina habitual, andando rápido, procurando sempre os bancos para repousar e pouco se incomodando com a azáfama dos transeúntes e veículos. Desconhece-se seu pensamento sobre o mundo, a vida e sua existência. Foi visto na noite de Natal na Avenida Peixoto Gomide, olhando as estrelas, e posteriormente, na entrada do Ano Novo na festa em louvor a Padroeira do Brasil.

Últimas

Correio Político 1002

Correio Político 1002

Tabata Amaral Um importante projeto para criar um protótipo de uma cadeira de rodas movida apenas pelos movimentos da cabeça, está sendo desenvolvido no Campus de Itapetininga do Instituto Federal...

Rita de Cássia Moraes Leonel

Itapetininga perde Alceu Nanini

Esta semana faleceu o empresário Alceu Nanini. Católico fervoroso, teve uma vida exemplar dedicada a ajudar o próximo. Pessoa muito querida na cidade, Alceu foi vice-prefeito e vereador. Uma grande...

Rita de Cássia Moraes Leonel

O Pint of Science Itapetininga foi um sucesso

A avaliação de Cassiano Terra Rodrigues , organizador do evento , é que o Pint of Science Itapetininga 2024 foi um sucesso, com  participação intensa , diversificada e altamente gratificante....

Rita de Cássia Moraes Leonel

O impacto das chuvas do RS no agronegócio brasileiro

Por Maria Clara Ferrari - graduada em Engenharia Agronômica pela Escola Superior de Agronomia de Paraguaçu Paulista em 1980, Latu Sensu em Gestão Agroindustrial pela Universidade Federal de Lavras. Experiência...

Rita de Cássia Moraes Leonel

Rogério Sardela retorna aos palcos

Depois de quatorze anos, um experiente ator da cena teatral itapetiningana retornou aos tablados, Rogério Sardela, com a peça “Agora Eu Tô Solteiro” de sua autoria. A comédia é dirigida...

mais lidas

Assine o Jornal e tenha acesso ilimitado

a todo conteúdo e edições do jornal mais querido de Itapetininga

Bem vindo de volta!

Faça login na sua conta abaixo


Criar nova conta!

Preencha os formulários abaixo para se cadastrar

Redefinir senha

Por favor, digite seu nome de usuário ou endereço de e-mail para redefinir sua senha.