Camisa 10

Estreou no último dia 23 na plataforma de “streaming” Netflix, o documentário “Pelé”, com pouco menos de duas horas de duração, uma produção realizada pela agência Pitch Internacional e dirigida por David Pryhorn. O filme mostra Pelé no ápice de sua carreira futebolística entre as Copas do Mundo de 1958 (realizada na Suécia) e 1970 (no México), período que compreende os três primeiros títulos mundiais da seleção brasileira, todos com a presença do “Atleta do Século XX”. Sim, esse título foi dado ao esportista brasileiro por competentes juízes da “mídia” internacional.

Vejam bem, não só o melhor jogador de futebol do mundo, mas o atleta do século XX. Isto envolveu não só a habilidade de tocar a bola, driblar o adversário, cabecear, chutar (com as duas pernas), ter visão total do jogo para passar a bola para outros da equipe, levar a bola para frente, sempre para frente, como um bom atacante, procurar o gol até o último momento e até não ser muito bonzinho em campo.

“Atleta do Século XX” significa que Pelé foi o mais perfeito esportista do século passado, se comparado com outros, de outras esferas como: tênis, natação, volleyball, basquete, corrida, jóquei, esgrima, halterofilista, fisiculturista, judô, futebol americano, tiro, enfim, tudo o mais. E tudo bem também que o futebol possuí uma maior visibilidade por ser “das multidões”. Mas, mesmo sendo coletivo, a individualidade dele, Pelé, chamado de “Rei”, era considerada excepcional. Tinha um corpo físico perfeito para a habilidade que escolheu. Um corpo cuja as pernas (principalmente a direita, lógico) e cabeça que marcaram quase 1.300 gols. Um corpo que tanto foi forçado nos gramados nacionais e internacionais que teve consequências. Com problemas na região da bacia, Pelé foi operado e devido a um erro médico, ficou com uma enorme dificuldade de caminhar sem andador e até de cadeira de rodas.

Aliás, as cenas iniciais do documentário da “Netflix”, Pelé mostra tal dificuldade. Dificuldade também que Pelé (Edson Arantes do Nascimento) possuí a responder perguntas feitas pelo diretor David Pryhorn em relação ao comportamento político do “Rei”.

Aparece no documentário o aperto de mão com o general ditador Emílio Garrastzu Médici, então presidente do Brasil à época do tri campeonato mundial (1970), quando o país viveu seu período de maior repressão durante a ditadura brasileira. Quando perguntado se ele sabia das torturas e assassinatos dos opositores ao regime, que estava acontecendo, Pelé responde: -“Se eu dissesse que não sabia estaria mentindo. Mas era difícil saber (na época) o que era verdade e o que era mentira”. Seu companheiro de México, 1970, Paulo Cezar (Caju) sempre criticou Pelé pela sua indecisão de posição, principalmente contra o racismo. Já o crítico de futebol Juca Ksouri em artigo sobre o documentário, na seção “Esporte” na “Folha de São Paulo”, de 19 de fevereiro de 2021: -“Se ele se posicionasse politicamente como em campo não seria ‘Rei’, seria Deus”. Também Juca Ksouri coloca: -“Futebolisticamente há sérias dúvidas sobre Pelé ser humano”. Ainda: -“Mas, nenhuma dúvida a respeito dele não ser normal. Ele chora e ri”. E o documentário da Netflix mostra tudo isso. Confira.

Últimas

Câmara cassa mandato do vereador Codorna

Câmara cassa mandato do vereador Codorna

Na última quinta-feira, dia 22, em Sessão Extraordinária realizada na Câmara Municipal de Itapetininga (CMI), 15 dos 19 vereadores votaram pela cassação do mandato do parlamentar de oposição Eduardo Codorna...

Prefeitura promove Campanha com exames de Hepatite B e C

Prefeitura promove Campanha com exames de Hepatite B e C

No mês em que é celebrado o “Dia Internacional do Combate às Hepatites Virais”, a Prefeitura de Itapetininga, por meio da Secretaria de Saúde e Departamento de Vigilância Epidemiológica promovem...

Filmes para quem gosta de comer… e cozinhar

Filmes para quem gosta de comer… e cozinhar

BAO (2018). O curta-metragem dirigido por Domee Shi fala de amor, e usa comida para representar uma mãe cuidando e acompanhando o crescimento do filho. Tem um viés bastante simbólico,...

mais lidas

Assine o Jornal e tenha acesso ilimitado

a todo conteúdo e edições do jornal mais querido de Itapetininga