Devoção

Posso até apostar que a maioria (bem maioria) da chamada “terceira idade” (sessenta anos para cima) nunca tinha ouvido falar na senhorita Taylor Swift (ou senhora) norte-americana antes da sua atuação no Brasil, principalmente no desastre que foi no Rio de Janeiro. Começando com a morte de uma fã (dia dezessete, última sexta) e depois no sábado, dezoito, quando sua equipe (que é quem comanda o espetáculo) suspendeu naquela noite o “show”.
Começando pelo mais trágico: a morte de uma espectadora de vinte e três anos de idade, ela desmaiou durante a segunda canção cantada pela possível sucessora de Madona (é o que dizem). Até aí, tudo “quase normal” (naquele dia houve “mil” desmaios). Só que, infelizmente, a jovem, da região centro-oeste do Brasil, teve uma possível parada cardiorrespiratória e não voltou mais a si, embora devidamente hospitalizada.
Culpados? Talvez a palavra seja muito forte. Melhor: descontrole total. Naquela fatídica sexta-feira, o Rio de Janeiro bateu recorde de alta temperatura. Os fãs da cantora estavam na fila de entrada no Estádio “Nilton Santos”, o chamado “Engenhão”, desde cedo, manhã e tarde, tomando um sol escaldante, muito calor e quase sem proteção.
Não haviam vendedores de água suficiente (não podia entrar com o plástico d’água lá dentro), muito tempo na fila. Muitos fãs de vários Estados brasileiros e até de outros países da América do Sul. Muitos não tão acostumados a exposição ao sol. Muitos e muitos esperaram horas (muitas horas!) pela abertura dos portões. Muitos jovens pensam que por serem jovens, não acontece nada com ele. Não é bem assim.
No sábado, dezoito, outro fiasco (se é que podemos dizer assim). A coordenação do “show” temendo outras fatalidades resolveu suspender a apresentação de Taylor Swift, mas anunciada a grande massa presente, apenas duas horas antes do início, não levando em consideração a longuíssima espera (novamente) dos fãs da cantora.
A apresentação de sábado foi mudada para segunda-feira (dia vinte). Houve reclamações e reclamações dos entrevistados pelo repórter Marcos Vinícius Anjos, da Globo News. Muitos acusando a Prefeitura e o Estado pela atuação tardia. Mas, no domingo, dezenove, o “Engenhão” voltou a receber milhares e milhares de pessoas. Devoção é devoção.

Se fato é foto…

O casal itapetiningano Beto Santos (empresário e vocalista da banda Beto Balanço) e Izadora Sallua (psicóloga) juntos com o filho Pedro. Foto – Arquivo Pessoal

Últimas

CORREIO POLÍTICO 997

CORREIO POLÍTICO 997

Exército Após o final do prazo para a filiação de possíveis candidatos, continua a corrida atrás de partidos políticos. Um número maior de partidos traz mais candidatos a vereador e...

Itapetininga tem quase 300 casos de dengue confirmados

Cidade registra 450 casos de Dengue em uma semana

Itapetininga registrou 450 novos casos de Dengue em uma semana. Ao todo, a cidade confirmou neste ano 1.531 casos positivos da doença. Um único caso de Chikungunya foi identificado em...

Queimadas aumentam em mais de 30% em 2024

Queimadas aumentam em mais de 30% em 2024

Em Itapetininga, nos primeiros quatro meses do ano, houve um aumento de 30% nos registros de queimadas em comparação com o mesmo período do ano passado. De acordo com os...

mais lidas

Assine o Jornal e tenha acesso ilimitado

a todo conteúdo e edições do jornal mais querido de Itapetininga

Bem vindo de volta!

Faça login na sua conta abaixo


Criar nova conta!

Preencha os formulários abaixo para se cadastrar

Redefinir senha

Por favor, digite seu nome de usuário ou endereço de e-mail para redefinir sua senha.