Festa na Corte

Na última sexta-feira, vinte e nove, Brasília engalanou-se para o evento da posse do novo presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Luís Roberto Barroso, no lugar da ministra Rosa Weber que completava a idade limite para exercer função na Casa das Leis, setenta e cinco anos de idade.
O evento foi solene, coberto por todas as mídias, principalmente depois do ataque dos participantes do oito de janeiro naquele lugar. Todos os importantes da Capital Federal compareceram a partir do presidente eleito democraticamente, Luís Inácio Lula da Silva, usando máscara. Nada contra a ameaça da Covid e sim para proteger-se a favor de uma operação no quadril, a ser efetuada no dia seguinte.
A posse do ministro Barroso talvez tenha servido para apaziguar as atuais desavenças entre o próprio Supremo e o Congresso Nacional (Câmara e Senado Federal). O Congresso, através de seus presidentes do Senado e Câmara, Rodrigo Pacheco e Arthur Lira, respectivamente, está se sentindo incomodado com a primazia do S.T.F. em assuntos pendentes, como o aborto por exemplo e que agora (só agora) “descobriram” que era um assunto que o Poder Legislativo poderia resolver. Mas não estava resolvendo e agora não aceita a decisão que o Supremo tomou nesta questão. E outros assuntos que as sandices antidemocráticas que o malfadado governo Bolsonaro deixou.
Esta briga entre o Supremo e o Congresso parece que vai continuar. Fazia muito tempo que não sentíamos ministros tão coesos, tão ligados e unidos em decisões prioritárias. A não ser um ou dois (e vocês sabem quem são), os ministros tomam decisões unânimes e progressistas, diferente de um Congresso (principalmente a Câmara) conservador em todos os seus setores.
Mesmo os deputados e senadores da situação (pró governo) são em menor número. Nestes últimos anos (ou décadas), os ministros do S.T.F. tiveram que tomar decisões cruciais para o país diante da inércia do Legislativo (sem contar o tempo da inércia bolsonarista).
Tempos atrás, ninguém (que acompanha o processo político brasileiro) iria pensar que a posse de um novo presidente do Supremo iria ocupar o noticiário por semanas na mídia. As coisas mudam. Bom para a democracia.
Impossível na cerimônia da posse não registrar a majestosa presença da cantora Maria Bethânia entoando o Hino Nacional e interpretando a (belíssima) canção de Chico Buarque “Todo o sentimento”.

 

Se fato é foto…

O casal itapetingano Theodoro Anastasiades, o Grego (empresário), e sua esposa Regina Abrao (professora aposentada) em Arraial d’Ajuda na Bahia. Foto – Arquivo Pessoal

Últimas

Correio Político 1002

Correio Político 1002

Tabata Amaral Um importante projeto para criar um protótipo de uma cadeira de rodas movida apenas pelos movimentos da cabeça, está sendo desenvolvido no Campus de Itapetininga do Instituto Federal...

Rita de Cássia Moraes Leonel

Itapetininga perde Alceu Nanini

Esta semana faleceu o empresário Alceu Nanini. Católico fervoroso, teve uma vida exemplar dedicada a ajudar o próximo. Pessoa muito querida na cidade, Alceu foi vice-prefeito e vereador. Uma grande...

Rita de Cássia Moraes Leonel

O Pint of Science Itapetininga foi um sucesso

A avaliação de Cassiano Terra Rodrigues , organizador do evento , é que o Pint of Science Itapetininga 2024 foi um sucesso, com  participação intensa , diversificada e altamente gratificante....

Rita de Cássia Moraes Leonel

O impacto das chuvas do RS no agronegócio brasileiro

Por Maria Clara Ferrari - graduada em Engenharia Agronômica pela Escola Superior de Agronomia de Paraguaçu Paulista em 1980, Latu Sensu em Gestão Agroindustrial pela Universidade Federal de Lavras. Experiência...

mais lidas

Assine o Jornal e tenha acesso ilimitado

a todo conteúdo e edições do jornal mais querido de Itapetininga

Bem vindo de volta!

Faça login na sua conta abaixo


Criar nova conta!

Preencha os formulários abaixo para se cadastrar

Redefinir senha

Por favor, digite seu nome de usuário ou endereço de e-mail para redefinir sua senha.