Inclusão LGBT+ em Itapetininga – Um Caminho Necessário para o Progresso Social

Por Luna Formaggi

Nesta cidade com mais de 150 mil habitantes, onde cultura e tradição se entrelaçam, é essencial refletir sobre a importância das políticas públicas à população LGBT+. Apesar dos avanços em diversas áreas em nosso município, ainda há muito a ser feito para garantir a inclusão e o respeito aos direitos dessa comunidade.
Em um contexto onde o amor deveria ser a força motriz para a construção de uma sociedade mais justa, não podemos ignorar o silêncio que impera sobre as necessidades que merecem toda atenção e apoio. A inexistência de um conselho LGBT+ ou de diversidade, a falta de uma Casa de Acolhimento e a ausência de projetos de saúde pública para essa população são questões que demandam atenção urgente. Precisamos questionar: por qual razão uma parcela significativa da população de Itapetininga continua a ser ignorada quando falamos de políticas públicas? O conservadorismo cultural, embora respeitado como parte da identidade local, não pode ser usado como desculpa para a falta de ações afirmativas. A diversidade é a essência da humanidade, e uma cidade inclusiva é aquela que celebra suas diferenças e encontra força na união. A compreensão e o respeito às especificidades da população LGBT+ são pilares para uma sociedade superior justa e igualitária. As ações independentes realizadas por grupos independentes como o Núcleo Trans de Itapetininga e o Coletivo DiverCidade, em parcerias com instituições de ensino e outros grupos são louváveis e demonstram a mobilização da sociedade civil na busca por acolhimento e apoio psicológico para a comunidade LGBT+.
No entanto, não podemos depender exclusivamente dessas iniciativas. É papel do poder público agir de forma ativa, oferecendo políticas públicas efetivas e bem estruturadas que atendam às demandas dessa população, a implementação de políticas públicas voltadas para a população LGBT+ não é apenas uma questão de justiça social, mas também de desenvolvimento econômico e cultural.

Cenário de Violência no Brasil
Até setembro de 2021, os dados de violência contra a população LGBT+ no Brasil revelaram uma situação alarmante, com 329 assassinatos registrados no ano, representando uma média de quase um assassinato a cada 27 horas, de acordo com o Grupo Gay da Bahia (GGB). Além disso, a violência doméstica, abuso policial, LGBTfobia na internet e violência em espaços públicos também foram relatados como problemas significativos. A subnotificação de crimes motivados por LGBTfobia e o discurso de ódio nas redes sociais complicam ainda mais o cenário, destacando a necessidade urgente de políticas públicas inclusivas e medidas concretas para combater o preconceito e garantir a segurança e os direitos da comunidade LGBT+. Quando falamos de pessoas Trans e Travestis, esses dados se tornam mais alarmantes, indicando uma expectativa de vida medieval, de 35 anos, e sim, todos esses dados se refletem em Itapetininga nas centenas de pessoas pertencentes a população LGBT+ residente no município.

Cidades do futuro
Cidades que abraçam a diversidade tornam-se automaticamente, cidades mais saudáveis e desenvolvidas, atraentes para investidores, turistas e talentos, é um caminho para o progresso e a evolução da sociedade em seu todo. Nesse sentido, é importante que a comunidade LGBT+ e seus aliados se unam para lutar por seus direitos e exigir representatividade política, a voz dessa comunidade precisa ser ouvida, e é através da participação ativa e engajamento cívico combinado com o poder público, que as mudanças efetivamente acontecerão. Itapetininga tem o potencial de se tornar uma referência em inclusão social e respeito à diversidade no interior do sudoeste paulista, é hora de superar barreiras e construir um futuro mais justo e acolhedor para todos os seus cidadãos, a implementação de políticas públicas é o caminho para fortalecer os laços e garantir que ninguém seja deixado para trás e possamos avançar coletivamente como cidade. Afinal, somente com o respeito e inclusão de todos, poderemos ser uma cidade próspera e humanitária.
Que as lideranças e representantes políticos de nossa querida Itapetininga estejam dispostos a abraçar essa causa com coragem e empatia. Só assim podemos caminhar em direção a um futuro onde o arco-íris de cores se refletirá na diversidade de almas que compõem essa cidade maravilhosa.
É chegada a hora de acolher, é chegada a hora de incluir!

Últimas

Correio Político 1002

Correio Político 1002

Tabata Amaral Um importante projeto para criar um protótipo de uma cadeira de rodas movida apenas pelos movimentos da cabeça, está sendo desenvolvido no Campus de Itapetininga do Instituto Federal...

Rita de Cássia Moraes Leonel

Itapetininga perde Alceu Nanini

Esta semana faleceu o empresário Alceu Nanini. Católico fervoroso, teve uma vida exemplar dedicada a ajudar o próximo. Pessoa muito querida na cidade, Alceu foi vice-prefeito e vereador. Uma grande...

Rita de Cássia Moraes Leonel

O Pint of Science Itapetininga foi um sucesso

A avaliação de Cassiano Terra Rodrigues , organizador do evento , é que o Pint of Science Itapetininga 2024 foi um sucesso, com  participação intensa , diversificada e altamente gratificante....

Rita de Cássia Moraes Leonel

O impacto das chuvas do RS no agronegócio brasileiro

Por Maria Clara Ferrari - graduada em Engenharia Agronômica pela Escola Superior de Agronomia de Paraguaçu Paulista em 1980, Latu Sensu em Gestão Agroindustrial pela Universidade Federal de Lavras. Experiência...

mais lidas

Assine o Jornal e tenha acesso ilimitado

a todo conteúdo e edições do jornal mais querido de Itapetininga

Bem vindo de volta!

Faça login na sua conta abaixo


Criar nova conta!

Preencha os formulários abaixo para se cadastrar

Redefinir senha

Por favor, digite seu nome de usuário ou endereço de e-mail para redefinir sua senha.