Literatura Brasileira – I

O Brasil, que era denominado pelos primeiros habitantes de Pindorama, Terra das Palmeiras, foi descoberto pelos portugueses no final e bem no final do século catorze, isto é, no dia 22 de abril de 1500, Época do Quinhentismo e das grandes navegações, Renascimento, Mercantilismo, Reforma Protestante e a Fundação da Companhia de Jesus e a Contra Reforma. O homem era o centro de tudo e todos viviam sob a égide do humanismo e eles, os humanistas, preocupavam-se com a reforma educacional.

Foi em 1500 que surgiu a primeira fase da Literatura Brasileira, conhecida como “Quinhentismo”, na Era Colonial. Começou a conquista e a colonização. Foi fundada a cidade de Salvador, Bahia, primeira cidade do Brasil. Começou a exploração do pau-brasil e houve a criação do Governo Geral. O primeiro governador geral foi Tomé de Sousa.

Surgiu a Literatura Informativa com as seguintes características: textos descritivos com a exaltação da terra, obras de valor histórico, exaltação da terra e conquista material. Os jesuítas destacaram-se com a sua obra catequética, usando o teatro pedagógico para atrair os índios. Religiosos, afastados de todos e de tudo, escreveram poesias de devoção. José de Anchieta, que passou a ser conhecido como o apóstolo do Brasil, escreveu um poema em latim, dedicado à virgem, com o seguinte título: “De Beata Virgine Dei Matre Maria”. Jean de Léry escreveu a obra “Histoire d’um Voyage Fait em la Terre du Brésil”. Ele, Léry, não era um aventureiro, mas era um calvinista, isto é, um reformado, huguenote ou, numa linguagem moderna, um presbiteriano que veio ao Brasil. Era sapateiro, porém um grande observador e homem de cultura.

Nicolas Durand Villegagnon escreveu para que João Calvino mandasse alguns reformados para a nova terra descoberta, com o intuito de fundar a França Antártica, onde houvesse liberdade de culto. Calvino creu na sua conversão e mandou catorze pessoas, entre as quais havia dois pastores: Pierre Richier, ex-carmelita, doutor em Teologia e Guilherme Chartier. Lery narra no seu livro o primeiro culto protestante que foi realizado no dia 10 de março de 1557, depois, no dia 21 de março, a primeira Santa Ceia, segundo o rito reformado e com a participação dos dois Ministros do Evangelho. No primeiro culto, o Pastor Richier leu o salmo 27, depois de ter cantado o salmo 5. Apresentou a mensagem, dando ênfase ao versículo que assim diz: “Pedi ao Senhor uma coisa que ainda reclamarei e que é a de poder habitar na casa do Senhor todos os dias da minha vida.” O primeiro culto foi realizado no Forte de Coligny.

Léry, no seu livro, afirmou que durante o culto Villegagnon não cessou de juntar as mãos, erguer os olhos para o céu, dar altos suspiros e fazer outros gestos que a todos pareciam dignos de admiração. Como foi hipócrita! É conhecido como o Caim da América.

 

Últimas

Câmara cassa mandato do vereador Codorna

Câmara cassa mandato do vereador Codorna

Na última quinta-feira, dia 22, em Sessão Extraordinária realizada na Câmara Municipal de Itapetininga (CMI), 15 dos 19 vereadores votaram pela cassação do mandato do parlamentar de oposição Eduardo Codorna...

Prefeitura promove Campanha com exames de Hepatite B e C

Prefeitura promove Campanha com exames de Hepatite B e C

No mês em que é celebrado o “Dia Internacional do Combate às Hepatites Virais”, a Prefeitura de Itapetininga, por meio da Secretaria de Saúde e Departamento de Vigilância Epidemiológica promovem...

mais lidas

Assine o Jornal e tenha acesso ilimitado

a todo conteúdo e edições do jornal mais querido de Itapetininga