Louvada Seja Valdirene

Uziel estava à porta e aguardava a chegada de Valdirene Camargo, filha de D. Izaltina.
– Por que veio tão tarde? perguntou Uziel Prado, logo que ela apareceu no jardim, na Estância.
Uziel gostava da Valdirene, mas ela gostava do Jônatas Moreira. Não havia reciprocidade no amor. Eram amigos, colegas e nada mais.
Prado, quando a cumprimentou, ia devorando a moça com olhos de fogo. Segurou-lhe uma das mãos no cumprimento e a impressão que tive era para ela não fugir. Valdirene estendeu a mão e logo a puxou, notando o seu intento. Fiquei com pena do Uziel. Como é triste amar e não ser amado!
Lembrei-me, quando vi esse quadro, da exortação de Cristo: “Amai-vos uns aos outros.” Não havia reciprocidade no amor, nos costumes e nos ideais.
Uziel, para Valdirene, era um rapaz desajeitado, bruto, curioso e sem graça. Quando sentava à mesa para almoçar, não tinha paciência e ficava em pé para se servir. Comia com a cabeça inclinada no prato ou melhor dizendo, enfiada. Comia sem mastigar, chupando, e de longe se ouvia o estalido dos lábios. Era um nojo para a filha de D. Izaltina.
Camargo era um botão de rosa. Ela era delicada, fina, bela e alimentava-se com os lábios fechados e mal se via o mastigar dos dentes. Era uma estátua divina. Os seus olhos eram ridentes, inquietos e convidativos. Que beleza de mulher!
O rei Lemuel, se a visse, diria:-“ Mulher virtuosa, quem a achara?”
Valdirene era virtuosa.
Uziel tinha que se amoldar aos princípios do evangelho para possuir no seu regaço a mulher que valia mais do que preciosas jóias. Ela temia a Deus, ele o futuro. Ela fazia o bem, ele o mal. Ela vivia para as glórias eternas, ele para os prazeres fugazes da vida.
Bem disse o escritor sacro: “Enganosa é a graça e vaidade a formosura, mas a mulher que teme ao Senhor, essa será louvada.”
Cara leitora, se você quiser ser louvada, virtuosa e mais valiosa do que preciosas jóias, leia Provérbios trinta e um e coloque em prática do álefe até o tau. Álef é a primeira letra do alfabeto hebraico.

Últimas

Cidade tem 25 mortes em sete dias e UTIs estão 100% lotadas

Cidade registra 24 mortes em apenas dez dias

Os primeiros dez dias do mês de junho registram uma marca preocupante, a cidade confirmou 24 mortes em decorrência da Covid-19 e 579 novos casos. Nesta quinta-feira, dia 10, o...

Modelo denuncia racismo em oferta de trabalho

Modelo denuncia racismo em oferta de trabalho

A modelo e estudante de fisioterapia Bruna Campos denunciou uma situação de racismo que sofreu durante uma oferta de trabalho. Ela combinava, pelo whatsapp, detalhes de um trabalho freelancer que...

mais lidas

Assine o Jornal e tenha acesso ilimitado

a todo conteúdo e edições do jornal mais querido de Itapetininga