Mar da Galileia

No dia 04/ 04/2014 fiquei hospedado no Hotel Ron Beach, região da Galileia, em Israel. Amanhecia vendo o mar da Galileia, que, na verdade, é um lago de água doce. Tem oito quilômetros de comprimento e seis quilômetros de largura e chega aos cinquenta metros de profundidade. Os antigos deram ao lago o nome de Kineret, que significa lira, pois sua forma fazia lembrar o instrumento musical, tocado por Davi e pelos levitas no templo. O lago está numa depressão, que causa medo, criada por um terremoto, segundo os estudiosos. No tempo de Cristo, havia muitas termas sulfurosas as suas margens. Ele fica duzentos e dezesseis metros abaixo do nível do mar. É impressionante!

Como na época de Jesus, ainda hoje se levanta tempestade grande que causa terror aos barqueiros. Lembrei-me que o ministério de Cristo, numa grande parte, foi realizado às margens do mar da Galileia. Ficava pensando, quando olhava para aquela imensidão de águas: Onde ele pregou? Onde ele andou sobre o mar? Tudo aquilo era para mim maravilhoso. Foi naquele lago e na região que Cristo manifestou por várias vezes a sua natureza divina, curando os homens e afugentando o medo.

Quando os discípulos de Cristo desceram para o mar e entraram no barco em direção a Cafarnaum, diz João, que Jesus ainda não viera ter com eles. Soprava um vento forte e o barco foi se afastando cada vez mais da margem. De repente viram Jesus andando sobre o mar e aproximando-se do barco. Os discípulos temeram. Alguns, pensando como crianças, acharam que era um fantasma. Outros apenas ficaram com medo, sem saber o que e quem era. Jesus, notando o medo, disse-lhes: sou eu, não temais.

Lembraram os futuros baluartes da fé das palavras divinas ditas a Moisés: “Eu sou me enviou a vós. Assim dirás aos filhos de Israel: Eu sou me enviou a vós. ” (Êxodo 3: 14)

Diante das palavras, o medo desapareceu e a distância encurtou-se, pois o discípulo amado afirma, no seu evangelho, “que de boa vontade o receberam no barco e logo chegaram à terra para onde iam” (João 5:16)

Os jovens presbiterianos gostam de cantar um hino que assim começa: “ Com Cristo no barco tudo vai muito bem” Troque o substantivo barco por outros, tais como: lar, casamento, noivado, namoro, igreja, viagem, ônibus, carro e tantos outros. Você verá que vale a pena estar com Cristo. Foi ele quem disse: Eu estarei convosco todos os dias até a consumação dos séculos. (Mateus 28:20)

O mar da Galileia serve de inspiração para muitos e como era belo o amanhecer, vendo o Sol refletir nas suas águas. Deus é maravilhoso!

Últimas

Peça “Os malandros” estreia nesta segunda-feira

Espetáculos teatrais retornam com sucesso

Nesse final de semana, dois grupos teatrais da cidade estarão em cartaz. No Jardim Marabá, o auditório Municipal apresenta “Os Malandros”, produzido pela cia Tapanaraca Mutatis Mutandis. O musical será...

Professores dão dicas para segundo dia de provas

Professores dão dicas para segundo dia de provas

No próximo domingo (28), os candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021 farão as provas de matemática e ciências da natureza. Para se sair bem, professores entrevistados recomendam...

mais lidas

Assine o Jornal e tenha acesso ilimitado

a todo conteúdo e edições do jornal mais querido de Itapetininga