NORDESTE E VOTO

A onda de críticas ao eleitorado nordestino, após as eleições presidenciais, parece mais uma natural indignação oposicionista que propriamente um primórdio de golpe separatista, como concluíram, apressadamente, alguns.

O eleitor, fenômeno disseminado mundo afora, tem como primeiro parâmetro de escolha de candidatos o interesse próprio. O nordeste concentra legiões de pobres, dependentes de auxílio oficial.

A pobreza, que assola grande número de nordestinos, tem origem no secular erro de entendimento do clima da região, e desde que aqui aportou a primeira nau portuguesa buscou-se lamentar e combater a seca, ao invés de somar esforços no sentido de com ela conviver. A sequência de governos corruptos, clientelistas e mantedores da dependência do povo pontuou décadas e décadas de estagnação do desenvolvimento nordestino.

O nordeste brasileiro apresenta concentrações humanas em áreas áridas, incapazes de suprir as necessidades de seus habitantes. Tais áreas só podem sustentar tal concentração demográfica com pesados e onerosos investimentos, em irrigação, turismo ou industrialização. A própria agricultura e pecuária, vocacionadas, foram pouco e esparsamente incentivadas, na região.

Soa lógico que, em situação de dependência, a maioria dos eleitores optasse pelo candidato cuja imagem estivesse relacionada à continuidade do indispensável auxílio. No próprio Estados Unidos, populações menos afortunadas tendem a votar nos Democratas, e populações mais abastadas preferem votar nos Republicanos.

O nordeste, contudo, não é totalmente seco e pobre, nem os nordestinos constituem um clone. Há regiões riquíssimas e polos de desenvolvimento, embora o médio poder de consumo persista baixo.

Falta, aos governos, a iniciativa de promover o desenvolvimento com vistas a tornar crescentemente desnecessários os auxílios para a sobrevivência, até por respeito humano. Manter populações em situação de dependencia pode parecer uma vantagem eleitoral, mas nada mais é que um descalabro moral, político e administrativo.

A ninguém interessa o separatismo, mas é compreensível que queiramos, todos, um número cada vez menor de brasileiros dependentes de auxílios oficiais para a sobrevivência. A dependência gera distorções até no processo eleitoral, impondo decisões de voto imediatistas.

Oposição e situação contam com brasileiros de todos os quadrantes, em seus quadros, e não existem partidos com tendências isolacionistas ou regionalistas. O Brasil deve caminhar buscando diminuir as diferenças regionais, e não torná-las foco de discórdias.

Não devemos jamais estimular as políticas de confronto, que buscam opor brancos e negros, heteros e gays, ricos e pobres, empregados e empregadores, graduados e analfabetos, ateus e religiosos, como se a justiça e a paz social só pudessem ser atingidas pela via da convulsão e intolerância.

Nosso arcabouço legal, programas de governos e educação já caminham, embora lentos, no sentido da redução das desigualdades. Convém não adicionar, aos gigantescos problemas de sempre, o ódio.

Últimas

Pessoas de 57 anos ou mais serão vacinadas hoje

Prefeitura divulga novo cronograma de vacinação

TERÇA-FEIRA – 03 DE AGOSTO 1ª DOSE 24 ANOS OU MAIS – Pessoas sem comorbidades (Drive-thru e a pé nos dois pontos de vacinação) Atende Fácil da Prefeitura e Ginásio...

Isabelly vibra com sucesso das “minas” no skate

Isabelly vibra com sucesso das “minas” no skate

A skatista itapetiningana Isabelly Ávila, de apenas 16 anos, por pouco não se classificou para as Olímpiadas de Tóquio, mas mesmo de longe, segue torcendo pelos atletas estreantes da modalidade...

HLOB está com 100% de ocupação nos leitos para Covid

Hospital de Campanha e UTI do HLOB estão100% ocupadas

A UTI Respiratória do Hospital Léo Orsi Bernardes (HLOB) e o Hospital de Campanha Interno estão 100% ocupados. Preparada para receber pacientes infectados com a Covid-19, a UTI recebe pacientes...

Bolsa Família injeta R$ 5,37 milhões na economia

Bolsa Família injeta R$ 5,37 milhões na economia

Itapetininga recebeu no primeiro semestre, por meio de repasse do Programa Bolsa Família cerca de R$ 5,37 milhões. A informação é do portal de transparência do Governo Federal. Este valor...

mais lidas

Assine o Jornal e tenha acesso ilimitado

a todo conteúdo e edições do jornal mais querido de Itapetininga