O amor é uma pessoa

A Bíblia é um livro do Amor. Fala do amor paternal, maternal, filial, fraternal e de tantos outros que a linguagem humana cria e inventa.
Começa com o Amor, criando a Terra e nela faz um jardim para colocar os frutos do seu amor. O Amor que se faz presente nos primeiros versículos, desdobram-se em três: O Pai, que é Adonai, que fala, governante Todo-Poderoso, e com quem o homem se relaciona como servo. O Espirito Santo, que é o Amor, El Shadai, fonte da bem-aventurança e consolação. O amor, que é o Verbo, manifestado em carne, o Emanuel, Deus conosco. O Amor, como se pode ver, é tríplice e uno e é por isso que os teólogos de Westminster, numa declaração, nascida de muita prece, disseram: “Há três pessoas na Divindade: o Pai, o Filho e o Espírito Santo, e estes três são um só Deus, da mesma substância, iguais em poder e glória. ” Num resumo magistral, João, o único apóstolo que ouviu as batidas do coração de Cristo, afirmou: Deus é amor.
No jardim, que foi chamado de Edem, se ouviu a primeira declaração de amor. Eis a história: Deus formou a mulher. Não diz a Sagrada Escritura que o Eterno criou, mas formou. O verbo formar nos remete ao formão, instrumento do artista. Diante da mulher, Adão assim se expressou, depois do seu sono profundo: “Esta afinal é osso dos meus ossos e carne da minha carne. ” Foi por isso que o apóstolo Paulo exortou, dizendo que o marido deve amar a sua esposa, como a sua própria carne, porque ninguém jamais odiou a própria carne; antes a alimenta e dela cuida.
Na Bíblia, Jacó, filho de Isaque, com um coração cheio de amor, trabalhou sete anos como escravo de Labão, para ter a liberdade de viver com a sua mulher amada. Camões, o pai da língua portuguesa, diz, num soneto, na chave de ouro: “ que mais servira se não fora, para tão longo amor, tão curta a vida. ”
É na Bíblia que o Amor, procurando o casal desobediente, perdoou-lhes e, num gesto de misericórdia e piedade, fez-lhes vestes de peles de salvação, sendo o próprio Filho do Amor, o Cordeiro Pascal.
É na Sagrada Escritura, onde se encontra a apoteose do amor. Foi escrita pelo apóstolo Paulo e que assim diz, resumindo, pois, o tempo urge: “ O amor é paciente, é benigno; o amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. “
Muito mais se diria, caso a fadiga não prejudicasse o entendimento, todavia, num resumo, fechando com chave de ouro, digo ao casal: Continuem vivendo o Amor, no Amor e com o Amor, pois tudo passa nesta vida e depois só resta a saudade.
Homília apresentada no culto de ação de Graças em comemoração as Bodas de Ouro do casal: Luís Cursio filho e Neuza Maria de Lima Cursio, no dia 18 /09/2021 por este colunista, Moysés Moreira Lopes. Estava presente o REV Gildásio Mota Fagundes e o grupo de oração que se reúne no sábado e às quartas feiras. Monte Santo – Itapetininga.

Últimas

Itapetininga tem quase 300 casos de dengue confirmados

Cidade registra 450 casos de Dengue em uma semana

Itapetininga registrou 450 novos casos de Dengue em uma semana. Ao todo, a cidade confirmou neste ano 1.531 casos positivos da doença. Um único caso de Chikungunya foi identificado em...

Queimadas aumentam em mais de 30% em 2024

Queimadas aumentam em mais de 30% em 2024

Em Itapetininga, nos primeiros quatro meses do ano, houve um aumento de 30% nos registros de queimadas em comparação com o mesmo período do ano passado. De acordo com os...

mais lidas

Assine o Jornal e tenha acesso ilimitado

a todo conteúdo e edições do jornal mais querido de Itapetininga

Bem vindo de volta!

Faça login na sua conta abaixo


Criar nova conta!

Preencha os formulários abaixo para se cadastrar

Redefinir senha

Por favor, digite seu nome de usuário ou endereço de e-mail para redefinir sua senha.