O encanto das formaturas nos grupos escolares

Numa das minhas gratas lembranças, eu e meus amigos estávamos no pátio da antiga Igreja da Matriz, quando a professora nos ditou normas a seguir, na vida escolar que iríamos trilhar: o curso Fundamental e depois outros estabelecimentos ou do ensino superior ou Magistério. Quem nos aconselhava era a mestra Maria Antonieta Pacheco França e conosco encontravam-se os colegas de classe, o saudoso Carlito Araújo e Alceu Ferreira (que se notabilizou como funcionário do DER e juiz de futebol). Isto foi à noite, após festa de formatura do Grupo Escolar Major Fonseca, em 1938.
Unicamente, por se tratar deste período de final e começo de ano é que voltamos a recordar as solenidades de formatura que se realizavam nos quatro principais estabelecimentos do ensino primário de Itapetininga, Major Fonseca, Adherbal de Paula Ferreira (1º grupo) , Fernando Prestes (2º grupo) e o Aplicação, da Peixoto Gomide.
Os alegres e sentimentais festejos por ocasião das aguardadas formaturas (ou entrega de diplomas), constituíam-se em satisfação geral entre os garridos alunos que terminaram o curso primário.
Os preparativos iniciavam-se a partir de outubro, ocasião em que a classe cogitava em nomear comissão encarregada de arrecadar fundos suficientes para as indispensáveis despesas e, igualmente, traçar detalhadamente o traje a ser usado, o modo de se comportar e indicar o orador da classe, além da escolha do padrinho ou paraninfo da turma.
Em perfeita comunhão e anuência total do diretor da escola (a Major tinha como diretor o professor Eurico Moura) começa então a fase prática. Uma questão levantada e logo decidida foi a de que os alunos reprovados ou ausentes das provas finais poderiam participar da formatura, a fim de que não ficassem complexados ou diminuídos perante os pais e colegas.
Até a data fixada para as festas, os alunos do 4º ano se esmeravam nos estudos, com o propósito de não serem reprovados e isso era levado a sério e com muita responsabilidade. Como sempre lembravam os alunos, saudosos irmãos Fernando e Virgilio Costa.
Inesquecível o dia em que alunos, primeiramente de manhã, compenetrados assistiam contritos à Santa Missa da Matriz oficiada pelo pároco Padre Brunetti, dirigindo as sábias palavras de incentivo aos “pequenos jovens” e a responsabilidade de cada um na nova fase da vida, e logo depois a comunhão geral dos alunos diplomados.
Um farto e saboroso café depois da Missa, era a oferenda do gentleman Godofredo Belfort, em sua residência na rua Quintino Bocaiuva, onde se encontrava a denominada Vila Palmira.
À noite, o empolgante desfecho. O diretor Eurico Moura, como em outros estabelecimentos, com a presença das altas autoridades, prefeito, delegado de ensino, comandante do 5º BC, Juiz e Promotor da Comarca e representantes eclesiásticos, compunha a Mesa Diretora e encarregava-se da entrega dos diplomas. Além dos padrinhos e paraninfo da turma, falavam o orador representando a classe, diretor do estabelecimento e a professora que dirigia o 4º ano. Tudo isso documentado no jornal da época “Tribuna Popular”, pertencente a Galvão Júnior.
Na parte lúdica, para finalizar o grande acontecimento, apresentava-se uma peça teatral, sob a orientação da professora Juliana Fabiano Alves e Dulce Salem (em início de carreira), exibição do exímio pianista Pedro Paulo Fogaça, destacando-se entre os artistas Fernando Costa, Antonio Castro, Carlos Araújo, Hélia Jordão, Lúcia Mello, Lucio Albuquerque, Linda Abdala e outros.
Acontecimentos marcantes na vida social da cidade naqueles idos em que diploma de Grupo Escolar constituía-se em valor inestimável e de grande orgulho para os familiares.

Últimas

Correio Político 1002

Correio Político 1002

Tabata Amaral Um importante projeto para criar um protótipo de uma cadeira de rodas movida apenas pelos movimentos da cabeça, está sendo desenvolvido no Campus de Itapetininga do Instituto Federal...

Rita de Cássia Moraes Leonel

Itapetininga perde Alceu Nanini

Esta semana faleceu o empresário Alceu Nanini. Católico fervoroso, teve uma vida exemplar dedicada a ajudar o próximo. Pessoa muito querida na cidade, Alceu foi vice-prefeito e vereador. Uma grande...

Rita de Cássia Moraes Leonel

O Pint of Science Itapetininga foi um sucesso

A avaliação de Cassiano Terra Rodrigues , organizador do evento , é que o Pint of Science Itapetininga 2024 foi um sucesso, com  participação intensa , diversificada e altamente gratificante....

Rita de Cássia Moraes Leonel

O impacto das chuvas do RS no agronegócio brasileiro

Por Maria Clara Ferrari - graduada em Engenharia Agronômica pela Escola Superior de Agronomia de Paraguaçu Paulista em 1980, Latu Sensu em Gestão Agroindustrial pela Universidade Federal de Lavras. Experiência...

mais lidas

Assine o Jornal e tenha acesso ilimitado

a todo conteúdo e edições do jornal mais querido de Itapetininga

Bem vindo de volta!

Faça login na sua conta abaixo


Criar nova conta!

Preencha os formulários abaixo para se cadastrar

Redefinir senha

Por favor, digite seu nome de usuário ou endereço de e-mail para redefinir sua senha.