O jantar humanitário que unem vizinhos

Todos os dias, praticamente durante quase 12 meses por ano, preocupações, ansiedade, às vezes conflitos e trabalho insano, atingem grande número de pessoas de todas as espécies.

São cidadãos, muitas vezes desprovidos de recursos suficientes para resolver dificuldades, mas sempre esperançosos e animados a prosseguir na labuta diária, sabendo, portanto, que é preciso continuar sonhando.

O conforto e um pouco de tranquilidade reside na devoção ao Criador, nas amizades daqueles que residem na mesma área, principalmente em bairros e vilas das cidades. Moradores se conhecem profundamente, e quando possível reúne auxilio e relações fraternais entre si. Sem dúvida, constitui um bálsamo e uma forte alavanca para seguir com alento a vida que desenvolvem, porque, com isso, se refestelam em alegria e solidificam o elo de afeto entre eles. Assim é que em diversas vilas dessa Itapetininga, composta das mais diversas categorias sociais, seus moradores se reúnem em festas religiosas, casamentos, aniversários ou outras comemorações, confraternizando-se e estreitando os laços amistosos.

Vive-se melhor e com intensa vontade de realizar sempre algo mais, segundo o conhecido Nelson, apelidado de Sentinela, morador na Vila Rio Branco e profundo observador dos costumes e hábitos dos itapetininganos.

São reuniões confraternizadoras que ocorrem periodicamente, mas ainda pouco visíveis e que não repercutem aos quatro cantos da cidade.

É bem possível que algumas centenas de pessoas se recordem que o saudoso professor José Gomes, festivo e acolhedor, com a colaboração de muitos vizinhos iluminava com luzes e enfeites toda área do início da Vila Rosa, onde residia e também realizava festividades nas comemorações de fins de ano. Tornou-se uma das grandes atrações turísticas de Itapetininga.

Na aprazível e hoje desenvolvida Vila Alves, Georgina Soares Raid, 64 anos, reúne nos meses de abril, julho, setembro e dezembro diversos membros da comunidade da Igreja Santo Expedito, da Vila Palmeira e proporciona substancial jantar, independente de religião, cor ou condição social. São procedentes não só da Vila Alves, como do Jardim Leonel, Vila Sonia e outros locais limítrofes.

Isto ocorre há doze anos e durante o evento aproveita-se a oportunidade para homenagear os aniversariantes daqueles meses: abril, julho, setembro e dezembro. Neste próximo domingo, dia 7, o regabofe à noite, constitui-se em um suculento churrasco acompanhado de nutritiva salada, arroz e refrigerantes, além de uma entrega de presentes no “amigo secreto”.

Todo material é doado pelos próprios participantes (caso tenham condições) e fazem parte, além de aposentados, crianças, senhoras e senhoritas.

O cenário da reunião é na própria casa de Georgina, próxima ao SESI. Ela, colaboradora assídua de São Roque, afirma ser prazeroso o ato de prestar serviços ao próximo, principalmente “aqueles destituídos de bens e necessitados, pois isto que faço atende aos princípios cristãos.” Finaliza entoando em voz baixa o saboroso samba do saudoso Agepê – “É tempo de amar, é tempo de querer, é tempo de viver é tempo de prazer”.

Últimas

Começou esta semana a vacinação contra a gripe em idosos e profissionais da saúde

Sábado é dia de vacinação contra a Covid e Gripe

Com a grande adesão da população às repescagens da vacinação contra Covid-19 realizadas aos sábados no shopping de Itapetininga, a Secretaria de Saúde do município decidiu incluir no esquema de...

Vitrine – Realismo

Vitrine – Realismo

A coluna Vitrine desta semana apresenta algumas produções dos alunos do Art Studio & Atelier Henrik Ribeiro.Henrik Ribeiro trabalha há dois anos e meio como tatuador. Ele sempre pensou em...

Confira a programação no aniversário de Alambari

Confira a programação no aniversário de Alambari

A prefeitura de Alambari preparou diversas atividades em comemoração ao 30° aniversário de emancipação político-administrativa. A agenda começou no último sábado, dia 14, com concurso da rainha do rodeio e...

mais lidas

Assine o Jornal e tenha acesso ilimitado

a todo conteúdo e edições do jornal mais querido de Itapetininga