O que é justo

Semana retrasada o compositor Francisco Buarque de Holanda recebeu das mãos do presidente Luís Inácio Lula da Silva e do presidente de Portugal o cobiçado Prêmio Camões numa solenidade pomposa e emocionante. Como vocês sabem, este Prêmio leva o nome de Luís de Camões, considerado até hoje um dos maiores poetas da língua portuguesa de todos os tempos. E olhem que Camões escreveu “Os Lusíadas”, seus versos mais célebres, no início da chamada Idade Moderna do mundo ocidental (1500). E dizem que Luís de Camões era um simples marinheiro da esquadra naval capitaneada por Vasco da Gama, aquele mesmo que contornou o Estreito para descobrir um novo caminho para as Índias.
E 523 anos depois, um brasileiro, Chico Buarque, recebe um valioso prêmio tanto no conteúdo intelectual como no conteúdo material, pois são muitos (e muitos) os euros que Chico receberá. O artista brasileiro foi escolhido pelas suas qualidades de compositor de música popular brasileira (são tantas as suas criações que é impossível enumerá-las neste artigo), dramaturgo, escritor (como “Fazenda Modelo”, uma crítica não velada a ditadura militar [e também, cívica] brasileira [1964 – 1985]).
O prêmio de Camões foi dado em 2019, mas Francisco Buarque recebeu só agora pois era necessária a assinatura dos dois presidentes: do Brasil e de Portugal. É quase lógico que o artista multimídia não recebeu naquele ano pois faltou, de propósito, a assinatura do então mandatário do Brasil (vocês sabem quem é) por motivos claramente ideológicos. Camões deveria ser comunista para que seu nome impedisse a entrega. Talvez o culpado fosse o premiado. Mas quatro anos depois a láurea foi entregue com galhardia. O laureado declarou depois as dezenas de repórteres que cobriam o evento, que até foi bom a demora pois impediu que “mãos sujas” tocassem no troféu. Foi bom.
O último lançamento literário de Chico não foi avaliado pela comissão julgadora pois é de 2021. Trata-se de um livro de contos denominado “Anos de Chumbo”, editora Companhia das Letras, com oito (deliciosos) contos, como o do próprio título do livro e “Para Clarice Lispector”, “Com Candura”, entre outros seis. Chico Buarque examina a realidade brasileira com todos os detalhes que um ficcionista deve fazê-lo. Hoje ele é um dos grandes prosadores brasileiros, mas o que ele gosta mesmo é de ser considerado como um compositor popular brasileiro.
No próximo dezenove de junho ele completa setenta e nove anos de idade. E continua na ativa. Seu último “show” foi visto por milhares e milhares de simpatizantes em diversos estados brasileiros. Milhares.

 

SE FATO É FOTO…

O casal itapetiningano Kleber Ribas e Fernanda Brasil Ribas (empresários) no bar Brahma em Sampa. Um dos bares mais tradicionais de São Paulo e do Brasil que fica no famoso cruzamento da Av Ipiranga e Av São João. Foto – Arquivo Pessoal

Últimas

CORREIO POLÍTICO 997

CORREIO POLÍTICO 997

Exército Após o final do prazo para a filiação de possíveis candidatos, continua a corrida atrás de partidos políticos. Um número maior de partidos traz mais candidatos a vereador e...

Itapetininga tem quase 300 casos de dengue confirmados

Cidade registra 450 casos de Dengue em uma semana

Itapetininga registrou 450 novos casos de Dengue em uma semana. Ao todo, a cidade confirmou neste ano 1.531 casos positivos da doença. Um único caso de Chikungunya foi identificado em...

Queimadas aumentam em mais de 30% em 2024

Queimadas aumentam em mais de 30% em 2024

Em Itapetininga, nos primeiros quatro meses do ano, houve um aumento de 30% nos registros de queimadas em comparação com o mesmo período do ano passado. De acordo com os...

mais lidas

Assine o Jornal e tenha acesso ilimitado

a todo conteúdo e edições do jornal mais querido de Itapetininga

Bem vindo de volta!

Faça login na sua conta abaixo


Criar nova conta!

Preencha os formulários abaixo para se cadastrar

Redefinir senha

Por favor, digite seu nome de usuário ou endereço de e-mail para redefinir sua senha.