Reflexões sobre a Turquia

Há anos atrás, um cidadão de Itapetininga, descendente de libaneses, foi cortar o cabelo na barbearia da Campos era Sales. O barbeiro, como os de toda a parte, procurou puxar conversa.
-Eu tenho uma dúvida, que talvez o senhor possa me esclarecer.
-Pois não, respondeu o freguês
-Eu estava pensando… A Turquia tomou parte na última guerra?
-Parte ativa, propriamente não. Mas de certa maneira esteve envolvida, como os outros países. Mas porquê?
-Por nada, eu só estava pensando. A situação política lá é meio complicada, não? Completou o barbeiro.
O forte do “patrício” não era a Turquia, mas, fazer o que
– Bem a Turquia, devido à sua posição geográfica…estratégica …. Continuou o barbeiro. Não é isso mesmo?
O senhor calou-se e ficou pensando
Um mês depois voltou para cortar o cabelo novamente. Ainda não havia se instalado na cadeira e o barbeiro começou:
-Os ingleses devem ter muito interesse na Turquia, não?
Que diabos esse sujeito vive com a Turquia na cabeça – pensou o cidadão. Mas não custava ser amável, além do mais, ia praticando seus estudos em história.
-Devem ter, mas o principal interesse da Inglaterra é no Egito, Canal de Suez.
-E o clima, lá?
-Onde? No Egito?
-Não, na Turquia.
Antes de voltar pela terceira vez à barbearia, por via das dúvidas, procurou saber mais sobre o país com um conhecido seu, Diplomata Brasileiro, expert em Turquia. Desta vez entupo-o com a Turquia, decidiu-se. E lá se foi
-Diga-me uma coisa e me perdoe a ignorância: a capital da Turquia é Constantinopla ou Sófia? Perguntou o barbeiro
-Nem Constantinopla, nem Sófia, é Ankara.
Aí despejou no barbeiro tudo que havia aprendido sobre a velha Turquia com seu amigo. Mas o homem não se deu por satisfeito.
-O senhor conhece muitos turcos em Itapetininga?
Era demais
-Não, não conheço nenhum. Mas agora chegou a hora de eu perguntar: Afinal, porque o senhor tem tanto interesse pela Turquia?
-Estou sendo apenas amável – respondeu o barbeiro, melindrado, mesmo porque conheço outros turcos, além do senhor.
-Além de mim? quem lhe disse que eu sou turco?
-Não sou turco, sou Libanês. Essa é boa. E aqui em Itapetininga todos esses turcos de quem o sr falou, não são turcos também, são Sírios ou libaneses. Na verdade todos nós somos brasileiros, pois aqui nascemos.
-Brasileiros? Libaneses? Sírios? Balbuciou o barbeiro desconsolado – Quem diria!!! Eu seria capaz de jurar que todos vocês eram turcos.
Mas não perdeu tempo em sua amabilidade:
-O Brasil fica na América do Sul, não é mesmo? E o Líbano e a Síria estão em guerra?

O diálogo ocorreu em fins da década de 1940 na barbearia situada na Rua Campos Sales, próxima ao antigo Hotel Central

Últimas

Peça “Os malandros” estreia nesta segunda-feira

Espetáculos teatrais retornam com sucesso

Nesse final de semana, dois grupos teatrais da cidade estarão em cartaz. No Jardim Marabá, o auditório Municipal apresenta “Os Malandros”, produzido pela cia Tapanaraca Mutatis Mutandis. O musical será...

Professores dão dicas para segundo dia de provas

Professores dão dicas para segundo dia de provas

No próximo domingo (28), os candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021 farão as provas de matemática e ciências da natureza. Para se sair bem, professores entrevistados recomendam...

mais lidas

Assine o Jornal e tenha acesso ilimitado

a todo conteúdo e edições do jornal mais querido de Itapetininga