Viagens, música e amores.

Já não é de hoje que autores independentes vêm lançando edições cada vez mais caprichadas cercadas de expectativas e acima de tudo com boas histórias. Daniel Esteves e Mário Cau fazem parte de uma nova geração de autores de quadrinhos que vem dominando o mercado nos últimos anos, bancando suas próprias revistas, ou por meio de financiamentos coletivos, ou aproveitando programas de incentivo público.

Km Blues, de Daniel Esteves, vem nessa levada premiada com o ProAC 2011 – Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo de Histórias em Quadrinhos. A graphic novel conta a história de Flávio, um homem de meia idade, recém-divorciado, que passa por uma crise existencial e cai na estrada buscando reconstruir seu passado. À procura de respostas que possam ajudá-lo em um novo momento de sua vida, ele visita vários lugares importantes de sua trajetória, reencontrando pessoas e revivendo sentimentos.

Em seu percurso, ele encontra de forma inusitada o célebre músico carioca Cartola, sambista falecido que traz um toque especial a esse enredo de road movie. A trilha sonora da trama, que mistura blues e samba, entremeada por conversas do protagonista com Cartola, dão a tônica da narrativa.

Daniel Esteves conseguiu produzir uma aventura realista e charmosa, com problemas que perpassam a vida de qualquer indivíduo, mas que são trabalhados com um toque de fantasia. Ficção e realidade se misturam com maestria nessa história, que puxa o leitor para dentro das páginas e que promete um final surpreendente.

Morphine, lançada recentemente na GibiCon, em Curitiba (PR), conta a transição da adolescência à vida adulta, que pode ser turbulenta. Toda pessoa tem uma história, tem seus motivos, tem seu caminho. Estes, às vezes se cruzam, às vezes se separam. Nossas escolhas geram sempre consequências e lidar com a bagagem acumulada, decidindo o que levar adiante e o que deixar para trás, faz parte do amadurecimento de cada um.

Essa é a história de um grupo de amigos que acabam – cada qual por seu motivo –, reunidos na festa de inauguração da mais nova casa noturna da cidade, chamada Morphine. Encontros e desencontros marcam uma série de momentos (do café ao bar, do delírio à ressaca, e de volta ao café) que colocam à prova a personalidade de cada um deles. 

Lennon, Bruno, Alex, Diana e Lara estão envoltos em uma série de situações típicas dos vinte-e-poucos anos: solidão, paixões não correspondidas, opiniões duras, chances perdidas, bom humor, depressão, timidez, insegurança e a dificuldade em atingir um objetivo. E cada um vai tentar encontrar um meio de acalmar sua dor pessoal, seja ela qual for, seja lá como for.

Últimas

Câmara cassa mandato do vereador Codorna

Câmara cassa mandato do vereador Codorna

Na última quinta-feira, dia 22, em Sessão Extraordinária realizada na Câmara Municipal de Itapetininga (CMI), 15 dos 19 vereadores votaram pela cassação do mandato do parlamentar de oposição Eduardo Codorna...

Prefeitura promove Campanha com exames de Hepatite B e C

Prefeitura promove Campanha com exames de Hepatite B e C

No mês em que é celebrado o “Dia Internacional do Combate às Hepatites Virais”, a Prefeitura de Itapetininga, por meio da Secretaria de Saúde e Departamento de Vigilância Epidemiológica promovem...

mais lidas

Assine o Jornal e tenha acesso ilimitado

a todo conteúdo e edições do jornal mais querido de Itapetininga