Agenda – Ivan Barsanti

O casal itapetiningano Vasti (de Souza) – Josué Gerson de Almeida, em Campos de Jordão, no último julho. – foto – Campos de Jordão/Press

Nas montanhas
O casal itapetiningano Vasti (de Souza) – Josué Gerson Almeida, em Campos de Jordão, interior paulista, no último julho durante o 50º Festival de Inverno, de lá.

Andanças musicais I
No penúltimo final de semana de julho do corrente ano o casal itapetiningano Vasti (de Souza) – Josué Gerson de Almeida, ela, pianista, professora de Música e regente de coral aqui, resolveram viajar em busca da boa música. Primeiramente a estadia foi no distrito de Conservatória, município de Marquês de Valença, Estado do Rio de Janeiro, distrito famoso nesta região sudoeste do país pelas serestas (às sextas-feiras e sábados) que são entoadas à noite, em forma de cortejo pelos trovadores locais, canções que foram antigos sucessos dos cantores de rádio: Orlando Silva, Sílvio Caldas, Francisco Alves, Carlos Galhardo, entre outros. Canções como: “Malandrinha”, “Lábios que beijei”, “Violões em funeral”, “Cabelos brancos”, “Boa noite, amor” entre outros clássicos da tradicional música popular brasileira. Depois, os itapetininganos Vasti e Gerson Almeida aterrissaram na gelada (clima) Campos de Jordão, interior paulista para “pegar” ainda o finzinho do 50º Festival de Inverno de Campos do Jordão, que começou em vinte e nove de junho indo até vinte e oito de julho. São tantas as atrações musicais do Festival que se a pessoa não tiver alguns alvos preferidos pode ficar até um pouco atordoada. Mas o casal Vasti (de Souza) e Josué Gerson de Almeida sabiam o que queriam ver, apreciar e escutar. E entre outras apresentações o casal itapetiningano (Vasti-Gerson) já no sábado, às onze horas da manhã, vinte e sete (julho), assistiram na Praça do Capivari, centro de Campos do Jordão, a Banda Sinfônica de Taubaté, executando, entre outras, “Cavalaria Ligeira”, do compositor Suppé e “Vassourinhas”, dos compositores Rocha e Batista. No mesmo dia, sábado, vinte e sete (julho) às três horas da tarde no palco externo do Palácio Boa Vista, um dos melhores acordeonistas brasileiros, Toninho Ferragutti (com diversos acompanhantes em diferentes instrumentos) tocando canções ligeiras bem brasileiras, de sua autoria e de outros como Luperce Miranda e Hermeto Pascoal. Vasti e Gerson adoraram o espetáculo.

Andanças musicais II
Na estadia do casal itapetiningano Vasti (de Souza) – Josué Gerson de Almeida, ela, pianista e regente de Coral, no último final de semana de julho deste ano, no 50º Festival de Inverno de Campos do Jordão, interior paulista, eles assistiram também, ainda no sábado, vinte e sete, oito e meia de noite, no Auditório Cláudio Santoro (que vocês veem sempre na TV Cultura de São Paulo), com a Orquestra do Festival os compositores: Ravel (Daphnis) et Chloé, suite número dois) e Heitor Villa-Lobos (Bachianas Brasileiras, número dois). No domingo, vinte e oito, às onze e meia da manhã, na Praça do Capivari, de Campos de Jordão, Vasti/Gerson prestigiaram, como bons itapetininganos, a Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí com Edson Beltrami, regente e também João Carlos Martins como regente e pianista. A Orquestra de Tatuí executou, entre outras: Dvorak (Danças Eslavas, número oito), Bach (Suite Orquestral número três em ré maior), Beatles e Queen (Yesterday/Love Of My Life), Ennio Morricone (Cinema Paradiso) e Hudson Nogueira (que possui raízes itapetininganas, autor de Carnaval de rua). Segundo Vasti, são cento e trinta concertos no Festival.

Baila comigo
A esbelta professora itapetiningana de Educação Musical da rede estadual de ensino, já aposentada, Mirian Rabelo Orsi acordou cedo no penúltimo domingo, três, o primeiro (domingo) de Agosto para sair daqui, pontualmente às onze horas da manhã em direção a Tatuí. Tudo para almoçar no Clube “Renascer”, de lá, e depois, às duas horas da tarde, assistir o grande baile mensal que a referida entidade tatuiana realiza (num determinado domingo de cada mês) das duas às seis da tarde. Uma muito animada orquestra da cidade de Porangaba conduz o espetáculo que reúne adeptos dos bailes de salão da própria Tatuí e vizinhas cidades como Araçoiaba da Serra, Boituva, Sorocaba, Quadra, Itapetininga, Angatuba, Capão Bonito, Sarapuí, Alambari, entre outras. O salão de festas do Clube “Renascer”, de Tatuí, fica repleto e os pares rodopiam ao som de vaneirões, rancheiras, guarânias, sambas, boleros, baladas. O “rock” e o “funk” não entram (nem pensar”). E a itapetiningana Mirian Rabelo Orsi aprecia o “dois pra lá e dois pra cá” dos dançarinos. E muitos destes perfeitos na movimentação dos ritmos. Mirian Orsi faz questão de estar lá todos os meses.
Lá e aqui
O casal itapetiningano Claudete (Andrade Diniz) e Mário Celso Rabelo Orsi Junior, ela, professora de Língua Portuguesa da rede estadual de ensino, já aposentada e ele que foi professor de História e também de Cultura Geral no Instituto Imaculada Conceição (Colégio das Madres) e Instituto Itapetiningano do Ensino Superior (o IIES) mudaram-se para São José do Rio Preto, interior paulista, localizado na região chamada de “Califórnia Brasileira” (pela riqueza agrícola e econômica) vieram visitar a terra natal (agora, visitar) Itapetininga, na penúltima sexta-feira, dois.

É o folclore
Sandra Proença, proprietária da itapetiningana agência “Sandra Turismo” levou dezenas de itapetininganos para as delícias de Olímpia, estação hidromineral (piscinas de águas quentes) nas penúltimas sextas-feiras, dois, sábado, três e domingo, quatro (agosto). Sandra Proença aproveita este mês também por causa dos festejos lá do folclore brasileiro (Olímpia é conhecida pela realização destes festejos). Uma centena (ou mais) de grupos regionais de canto e dança estritamente brasileiros, principalmente do Sudoeste deste país, apresentam-se lá atraindo milhares de visitantes. Segundo Sandra: “Bonito de se ver”.

Campeão?
Diretor do departamento de publicidade e colunista deste “Correio de Itapetininga” Odilon Rosa Rezende anda sorrindo quase à toa. E a causa pode ser a excelente classificação do Santos Futebol Clube no atual Campeonato Brasileiro de Futebol, o “Brasileirão”. Atualmente, o “peixe”, apelido do clube santista está em primeiro lugar. E o dinâmico Odilon cruza os dedos e diz, quanto interpelado pela atuação do seu clube preferido: – “Este ano, o Santos será sim campeão. Será sim!”.

Afirmação
Integrante do saudoso ACEDI (Atualização em Culinária e Economia Doméstica de Itapetininga) Marte Cecília Cunha da Silva, comentando: – Vale muito a pena visitar Gramado, Rio Grande do Sul, principalmente a partir de dezembro, no “Natal Luz” e ver aquele soberbo desfile de todas as noites, realizado pela comunidade de lá. Lembra muito, mas muito a Europa.”.

Será que vem para cá?
Está na Agenda Teatral do Sesi para este ano de 2019 o espetáculo “Caravana Tonteria”, produção Bianca de Felippes, que deverá excursionar pelo interior paulista que possuem o Complexo do Sesi. Tal espetáculo apresenta uma aventura sonora entre composições autorais de Letícia Sabatella (que, naturalmente vocês conhecem pelas novelas e minisséries da TV Globo) e canções (que Letícia interpreta) de Chico Buarque, Cole Porter, Kurt Weill, Duke Ellington e Carlos Gardel. Um musical adulto de cento e vinte minutos. No elenco, além de Letícia Sabatella, Fernando Alves Pinto, Paulo Braga e Zeli Silva. A direção é de Arrigo Barnabé. Será que este espetáculo ocupará o palco do teatro do Sesi daqui, em Vila Rio Branco? Será?

Últimas

Câmara cassa mandato do vereador Codorna

Câmara cassa mandato do vereador Codorna

Na última quinta-feira, dia 22, em Sessão Extraordinária realizada na Câmara Municipal de Itapetininga (CMI), 15 dos 19 vereadores votaram pela cassação do mandato do parlamentar de oposição Eduardo Codorna...

Prefeitura promove Campanha com exames de Hepatite B e C

Prefeitura promove Campanha com exames de Hepatite B e C

No mês em que é celebrado o “Dia Internacional do Combate às Hepatites Virais”, a Prefeitura de Itapetininga, por meio da Secretaria de Saúde e Departamento de Vigilância Epidemiológica promovem...

Filmes para quem gosta de comer… e cozinhar

Filmes para quem gosta de comer… e cozinhar

BAO (2018). O curta-metragem dirigido por Domee Shi fala de amor, e usa comida para representar uma mãe cuidando e acompanhando o crescimento do filho. Tem um viés bastante simbólico,...

mais lidas

Assine o Jornal e tenha acesso ilimitado

a todo conteúdo e edições do jornal mais querido de Itapetininga